segunda-feira, dezembro 31, 2012

 

2ª feira da Oitava do Natal


Vós, porém, tendes uma unção recebida do Santo e todos estais instruídos. (1Jo 2,18-21)

Natal de Jesus é fazer memória do nosso nascimento em Jesus.
Pelo batismo fomos assumidos em Cristo
para vivermos em Cristo e nos tornarmos outro Cristo hoje.
Identificar-nos cristãos e viver longe de Cristo,
sem os sentimentos e atitudes de Jesus,
é andarmos de costas voltas para Cristo e a Igreja, Seu Corpo,
e portamos-nos como anti-Cristos!

A fidelidade que nasce da fé e seguimento de Jesus
é a verdadeira árvore de Natal que anuncia a vida,
a verdadeira estrela de Belém que indica o Salvador,
a verdadeira gruta do presépio que acolhe Jesus, Maria e José.

Senhor Jesus, no final de mais este ano,
queremos dar-te graças por todos os dons que nos deste,
pela paciência e compreensão que tiveste,
por tudo o que nos ensinas-Te com a sabedoria da vida.
Perdão Senhor pela nossa teimosia no mal,
pelas pessoas que ferimos de tristeza e prejudicámos,
pelo bem que podíamos ter feito e não fizemos,
pelo amor que podíamos ter dado e recusámos.
Abençoa, Senhor, o novo ano
e ajuda-nos a ser um membro vivo do Teu Corpo,
presépio vivo que não tem tempo nem calendário.

domingo, dezembro 30, 2012

 

Domingo da Sagrada Família


O que honra o pai alcança o perdão dos pecados, e quem honra a sua mãe é semelhante ao que acumula tesouros. (cf. Sir 3,3-7.14-17a)

Natal é perfumar de amor a casa em que habitamos.
É contemplar a família de Nazaré
para aprender a fazer crescer Jesus no quotidiano.
A rotina profana precisa dum toque do sagrado eterno.

A família passa por um inverno de identidade.
Os laços familiares tornaram-se frágeis e movediços,
encontro de egoísmos assumidos e honrados.
Os serviços de educação e de cuidados realizados pela mulher,
são agora entregues a serviços especializados exteriores:
creche, infantário, lavandaria, lares de terceira idade...
Para que uma sociedade assim funcione,
necessita que todos tenham emprego
e a casa fique vazia durante o dia.
Onde tudo é pago, perde-se o sentido da gratuitidade
e o mistério da fé na eternidade!

Senhor Jesus, obrigado porque quiseste nascer
e crescer numa família humana.
Ajuda os nossos pais a amarem-se com fidelidade,
como Maria e José.
Conduz os nossos filhos a respeitar,
com carinho e compreensão, os seus pais.
Ensina-nos a ter lugar nas famílias
para o trabalho e a festa,
para o amor aos outros e a Deus,
para a família alargada e os amigos,
para o diálogo e a escuta,
para o perdão e o respeito pela diferença.


sábado, dezembro 29, 2012

 

Sábado da Oitava de Natal


Quem ama o seu irmão permanece na luz e não corre perigo de tropeçar. (cf. 1Jo 2,3-11)

Natal é conhecer a Luz e deixar-se conduzir por Ela.
A Luz brilha indicando o caminho do Amor.
O ódio cega o entendimento e desnorteia a vida,
transformando o outro num inimigo a abater.
Quem ama e aprendeu a arte de perdoar,
o Natal imortaliza-se em cada instante
e as relações humanas germinam paz e esperança.

Não somos nós que iluminamos o Natal,
mas é este Menino, Palavra de Deus a palpitar,
que nos ilumina os passos e nos ensina a caminhar.
Fazer o presépio e montar o árvore de Natal,
é reconstruir relações, perdoar ressentimentos,
estruturar solidariedades, promover a paz.
É iluminar o mundo com a Luz da amizade.

Senhor Jesus, obrigado porque tiveste a iniciativa
de vir aqueles que Te esqueceram e não Te amaram.
O Teu Natal é Luz que brilha pelo Amor.
Ajuda-nos a permanecer em Ti e na Tua Palavra
para que o mundo brilhe família unida e solidária
e a festa aconteça Natal na simplicidade.

sexta-feira, dezembro 28, 2012

 

6ª feira da oitava de Natal, festa dos Santos Inocentes


Deus é luz e n’Ele não há trevas. (cf. 1 Jo 1,1-5-2,2)

Natal é um facho de Luz que não se esgota
e revela as trevas que habitam o nosso íntimo
e se projetam em obras escondidas e secretas,
motivadas pelo medo e o desejo de poder.
Herodes personifica a vanglória coroada,
manchada de sangue e de insensibilidade.

Os mártires infantes de Belém, mortos durante as trevas do ódio,
revelam a inocência assassinada por aqueles que a deviam proteger:
os pais que abortam o dom que receberam,
os casais que maltratam os filhos com falta de cuidados
e com violências domésticas e abusos sexuais,
os cristãos que morrem vítimas dum fundamentalismo intolerante,
as crianças soldados que são treinados para matar,
a injustiça estrutural que mata à fome o pobre...
São as trevas dum mundo que se recusa acolher a Luz.

Os Santos Inocentes revelam o verdadeiro Senhor da história:
a Deus ninguém consegue matar, porque é a Vida,
e quem morre nestas tentativas vãs,
não serão esquecidos por Aquele que veio
para que todos tenham vida e vida em abundância.

Senhor Jesus, Vós sois a Luz da Vida,
Vós sois a verdade que cura.
Ajuda-nos a celebrar o Natal, protegendo a vida.
Aumenta em nós a confiança em Ti,
para que não gastemos energias lutando contra Ti,
mas nos gastemos totalmente por Ti,
defendendo a vida da Terra e de todos os seres humanos. 

quinta-feira, dezembro 27, 2012

 

5ª Feira da Oitava de Natal, festa de S. João Evangelista


Porque a Vida manifestou-Se e nós vimos e damos testemunho dela. (1Jo 1,1-4)

O Natal continua a revelar-se.
Festejando S. João Evangelista,
somos desafiados a contemplar o invisível,
a sentir o eterno a peregrinar connosco,
a alegrar-nos com a Vida que diviniza,
a aprofundar o mistério da história iluminada,
a aprender a ler o sinais do Amor verdadeiro.

É o discípulo amado a soletrar Evangelho,
para que a sua alegria se comunique
e a nossa comunhão se torne plena e para sempre.
É o discípulo que conhece intimamente o Mestre
e anima a permanecer em Cristo como ramo da videira
para que demos fruto e frutos abundantes.
É o discípulo que corre, movido pela fé,
que nos encoraja a viver segundo o Espírito
e a testemunhar o Bom Pastor que nos conduz.

Senhor Jesus, Manifestação da Vida,
nesta carne de morte e chagada de limitações,
cura-nos e faz-nos reviver para a vida em Ti.
Ajuda-nos a aprender com S. João
a sermos contemplativos da Palavra
e evangelizadores da Vida que experimentámos
ao adorarmos Tal Menino, encarnação do Verbo Divino.

quarta-feira, dezembro 26, 2012

 

4ª feira da Oitava de Natal, festa de S. Estêvão


«Vejo o Céu aberto e o Filho do homem de pé à direita de Deus».(cf. At 6,8-10.7,54-59)

A Igreja coloca-nos a festa do primeiro mártir
logo no 2ª dia desta semana da festa do Natal,
porque Natal não é sentimento e sonho de embalar,
mas seguimento e testemunho na turbulência a enfrentar.

Ontem vimos o Verbo Divino feito Menino entre os homens,
hoje vemos o Filho do Homem à direita de Deus no Céu
e Estêvão como verdadeiro continuador da sua Missão na terra.
Jesus é o Caminho que se fez escada entre Deus e a humanidade
deixou o Céu aberto para que, por Ele, cheguemos à eternidade.

Estêvão foi eleito para servir e evangelizar
e abrir caminhos novos ao verbo amar.
De tanto se identificar com Cristo
parecia-se com Jesus na forma de orar
e de aos inimigos assassinos perdoar.
Era um facho de luz que fez a fé triunfar.

Senhor Jesus, obrigado pela força do Teu Espírito
que nos dá coragem, cheia de esperança, nas dificuldades
e confiança perseverante nas perseguições.
Ensina-nos a celebrar o Teu Natal
com o testemunho de fé e a coerência de vida.

terça-feira, dezembro 25, 2012

 

Natal do Senhor


O Senhor descobre o seu santo braço à vista de todas as nações e todos os confins da terra verão a salvação do nosso Deus. (cf. Is 52,7-10)

O profeta sonha ver a revelação da força de Deus,
o “seu santo braço”,
e Deus vai mais além do que podíamos ter imaginado:
envia o Seu próprio Filho, na eternidade gerado,
a montar entre nós a Sua tenda, em tempo formado.
A força do Seu santo braço revela-se Menino,
o Seu palácio, estábulo fecundo de vida nova,
o Seu berço, manjedoura que alimenta,
o Seu manto real, panos que envolvem a Luz e a Cruz,
a Sua linhagem real, pessoas de fé que acolhem a Palavra,
tal como Deus a quer revelar.

Ver a salvação do nosso Deus para todos os povos,
neste quadro tão pobre e humanamente frágil,
é aprender o caminho da fé, com Maria e José,
e a olhar como os pastores e os magos,
habituados a ver durante a noite sinais que falam.
Por isso, Natal é sempre Ano de Fé
e, sem Fé, é apenas tradição cheia da emoção
que desaparece como o orvalho da manhã.

Obrigado, meu Deus, pelo presente do Teu Filho.
Obrigado Jesus, porque escolheste o caminho,
lento e respeitador, da cadência do tempo.
Aumenta a nossa fé e dobra os joelhos do nosso coração,
para aprendermos a renascer Palavra viva e corpo santo,
vigilante e peregrino duma Luz que não se apaga.

segunda-feira, dezembro 24, 2012

 

2ª feira da 4ª semana do Advento - 8º dia da novena de Natal


O Senhor faz hoje saber que será Ele próprio quem edificará uma casa para ti. (cf. 2 Sm 7,1-5.8a-12.14a.16)

David, quando se instalou no seu palácio,
olha para a Tenda da Aliança com olhar de rei
e quer patrocinar a construção dum templo para Deus.
Deus responde-lhe que foi Ele quem o escolheu para ser rei,
o ajudou a consolidar o seu reinado
e quer fazer nascer da sua descendência o Messias.

Hoje também andamos atarefados a fazer presépios,
árvores de natal e enfeites de festa,
como se Jesus precisasse dessas coisas para ser Senhor.
Jesus é Filho do Amor e só habita em corações
que Ele próprio criou e modelou com o barro de liberdade.

Maria acolheu-O no seu coração pelo Sim da fé,
antes de O acolher no seu seio pelo Sim do seu corpo.
Ela é apenas canal da Vida, grávida de esperança,
instrumento dócil que cria, deixando-se recriar.
E no tempo de Deus, chegou a hora de dar à luz a eternidade.
Já se sente o perfume do Amor a germinar graça e fidelidade!

Senhor Jesus, mendicante de resgate de ovelhas perdidas,
obrigado porque quiseste nascer Menino, frágil e pequenino,
dependente de mãos acolhedoras que queres salvar.
Obrigado pela grandeza que manifestas na pobreza
e pela fidelidade no amor que revelas na rejeição.
Cria em nós uma habitação permanente
e jorra em nós um amor e paz para sempre.

domingo, dezembro 23, 2012

 

4º Domingo do Advento - 7º dia da novena do Natal


De ti, Belém-Efratá, pequena entre as cidades de Judá, de ti sairá aquele que há-de reinar sobre Israel. (Miq 5,1-4a)

O profeta Miqueias, contemporâneo de Isaías,
sonha com um Messias despido de palácios e esplendor,
nascido em Belém, humilde pastor, pacífico e pacificador.
É o caminho da afirmação de Deus e dos seus projetos,
que supõe o despir de armaduras de defesa e de ataque,
num “eis-me aqui para fazer a Tua vontade”,
alegre, livre, pleno de entrega e de oferta pessoal.

Estamos às portas do Natal e o Menino quer nascer.
Não espera por nós em lugar incerto,
mas vem até nós a correr no útero vivo de quem tem fé.
E quem tem fé leva Belém aonde peregrinam
os que buscam o rosto de Deus, cegos de ansiedade.
São como Maria que vivem da fé, leves e surpreendidos,
e encurtam o caminho que separa os vizinhos e os longínquos,
entre Deus e a humanidade, entre o tempo e a eternidade.

Senhor Jesus, eu creio em Ti, Voz do Amado
que queres nascer mensagem de boas novas
na pequena cidade de Belém que somos cada um de nós.
Faz-nos pequenos de tudo o que Te esconde
e grandes no acolhimento de tudo o que Te revela.
Cresce em nós para que possamos crescer em Ti,
como Maria a voar de alegria e missão todo o dia.

sábado, dezembro 22, 2012

 

Sábado da 3ª semana do Advento - 6º dia da novena de Natal


Eis o menino por quem orei: o Senhor ouviu a minha súplica. Por isso também eu o ofereço para que seja consagrado ao Senhor todos os dias da sua vida. (cf. 1Sam 1,24-28)

A mãe de Samuel chora a sua esterilidade
e entrega-se confiante nas mãos do Senhor da vida.
Quando dá à luz o filho, dom do Altíssimo,
esquece-se de si e do filho e concentra todo o seu coração
nAquele que faz novas todas as coisas.
E numa atitude de oferta e de ação de graças,
consagrada o seu filho ao Senhor,
dá o dom por quem tanto chorou e orou.
Não trabalha para acumular,
mas renasce canal da vida e dom sem apegos.
É a fé persistente, em oração confiante,
com a mesma confiança que se esvazia em dom ofertante.

A época de Natal tem a vertente da solidariedade e da família,
mas também é distração com luzes de encantar,
“pais-natal” de prendas para acumular,
comidas doces e excessos para gular.
Celebramos este Menino por quem suspirámos,
mas depois arrumamo-Lo no presépio,
como figura de enfeitar, ao lado da árvore, das estrelas...

Senhor Jesus, dom enviado pelo Pai,
doce ternura em manjedoura aconchegado,
alarga o espaço da minha pobre gruta
para que possas nascer e permanecer
como Rei e Senhor deste condado.
Faz-me canal da graça e do dom,
para que outros te possam louvar e adorar,
sem medo de ser generosos e confiar.

sexta-feira, dezembro 21, 2012

 

Boas Festas da Natal e feliz Ano de 2013

Foi o amor que o fez nascer. 
Foi o amor que O fez permanecer. 
É por amor que O queremos celebrar.


 

6ª feira da 3ª semana do Advento - 5º dia da novena de Natal


Eis a voz do meu amado! Ele aí vem, transpondo os montes, saltando sobre as colinas. (Cant 2,8-14)

No livro Cântico dos Cânticos não se fala de Deus,
mas da paixão de dois amores que se procuram,
desejam e visitam, numa sede de complementaridade.
A fé nasce da experiência de se ser amado
por Aquele que, escondido, visivelmente nos queria
e despertou em nós dinamismos de procura e de amor
que floresce em alegria e entrega confiada.

A voz do amado fala humanês no tempo,
corre veloz pelos montes, em ânsias de anúncio,
no corpo de uma jovem agraciada e feliz
por gerar no seu seio Aquele que ama por amar.
Visita a idosa e estéril fecundada
e pelo mesmo amor surpreendida,
num encontro de apaixonadas por um Amor sem medidas.

A religião e a missão só têm conteúdo
se forem fruto da paixão e do encontro,
visita e proximidade, alegria e desejo puro.

Obrigado, meu Deus, porque nos amas apaixonadamente,
desde toda a eternidade.
Obrigado pela história de amor que desenhaste e projetas,
em declarações de enamorado, livremente cortejadas.
Obrigado por Maria que se tornou reflexo
deste amor sem medida nem cansaço.
Conquista o nosso coração e envolve-nos nesta paixão!

quinta-feira, dezembro 20, 2012

 

5ª feira da 3ª semana do Advento - 4º dia da novena de Natal


Não vos basta que andeis a molestar os homens para quererdes também molestar o meu Deus? (cf. Is 7,10-14)

O rei Acaz treme de medo perante os poderes da época.
O profeta desafia-o a colocar toda a sua confiança em Deus,
mas o rei confia mais na força da armas do que na fé em Deus.
Teme pedir um sinal, pois não acredita sequer na sua sombra.
Deus dá-lhe um sinal frágil e novo:
uma jovem dará à luz um filho
que saberá distinguir o bem do mal
e será “Emanuel”, Deus connosco..

Hoje assistimos ao salve-se quem puder.
A perda da fé em Deus levou à desvalorização da ética,
à exploração do outro como se fosse uma esmola,
à instrumentalização da dignidade humana
e à subordinação dos direitos humanos ao lucro.
A este molestar do ser humano, junta-se um molestar de Deus
e de todos os que teimam afirmar-se crentes.
Em nome da liberdade e da modernidade,
rediculariza-se a religião e combatem-se valores
como a vida, a justiça social, a família...

Senhor Jesus, Tu és o Emanuel, sinal de Deus a Acaz.
Obrigado Maria porque acolheste com fé
a proposta de ser o sim à promessa.
Ajuda-nos, Senhor, a não ter medo de acreditar
e a confiar em Ti, mesmo em contra-corrente.
Como Maria queremos ser um Sim às Tuas promessas.


quarta-feira, dezembro 19, 2012

 

4ª feira da 3ª semana do Advento - 3ª dia da Novena de Natal


Já viste que és estéril e ainda não deste à luz; mas vais conceber e dar à luz um filho.(Jz 13,2-7.24-25)

O Povo de Deus entregou-se à maldade e à infidelidade
e, por isso, a sua vida tornou-se estéril e frágil,
não gerava nem protegia a vida.
A mãe de Sansão é o símbolo desta vida estéril.
No entanto, Deus não abandona o seu povo
e toma a iniciativa de vir curar a sua esterilidade.
A escuta e a obediência à Palavra de Deus,
são o húmus onde fermenta a fecundidade e a esperança.

Hoje desce a natalidade e desvaloriza-se a fecundidade.
Estamos a ficar um povo de avós e tios,
com um horizonte de fim de série,
chorando a solidão e o envelhecimento.
Como podemos ser fecundos na fé
se não queremos ser fecundos no amor?
Como podemos ser co-criadores de Deus
se não conhecemos o Criador e o adoramos?

Senhor, nosso Pai, fonte inesgotável do Amor,
paixão incansável pela vida florescente e abundante.
Obrigado porque nos criaste para amar,
e nos tornastes fecundos de muitas formas.
Obrigado porque a Tua graça e perdão
cobre os pecados da nossa perdição
e cura a esterilidade da nossa condição.
Faz-nos voltar para Ti e ajuda-nos a alistar
no exército, pacificamente militante,
dos cuidadores da Vida, na sua beleza e biodiversidade.

terça-feira, dezembro 18, 2012

 

3ª feira da 3ª semana do Advento - 2ª dia da Novena do Natal


Será um verdadeiro rei e governará com sabedoria: há-de exercer no país o direito e a justiça. (cf. Jr 23,5-8)

O segundo dia da novena de Natal
é a promessa dum Messias-Rei
que exercerá o direito e a justiça,
segundo a verdade e a sabedoria.
Não será um oportunista, conquistador de poder,
que usará a esperteza em benefício próprio,
nem criará uma estrutura ao serviço apenas de alguns,
mas dará confiança e segurança aos mais fracos
e controlará a cobiça dos mais fortes,
para que não se perca o sentido da justiça
e se construam relações onde a prioridade é o bem comum.

Obrigado Jesus, porque és uma surpresa permanente,
na forma como Reinas e és Messias.
Obrigado porque o Teu poder é serviço,
a Tua sabedoria é amor verdadeiro
e a Tua justiça é salvação que reabilita.

Para que em mim possa nascer esse “Rebento justo”,
purifica-me da ganância e da agressividade,
cura a miopia que não vê para além dos amigos
e disforma todos outros em indiferença ou inimizade.
Ensina-me a ver para além das aparências
e a acolher a Tua doce presença invisível.

segunda-feira, dezembro 17, 2012

 

2ª feira da 3ª semana do Adevnto - 1º dia da novena de Natal


O ceptro não se afastará de Judá, nem o bastão de comando de entre os seus pés, até que venha Aquele a quem pertence e a quem os povos hão-de obedecer. (Gn 49,2.8-10)

Iniciamos hoje a novena de Natal.
Preparamos o nascimento de Jesus,
não apenas fazendo presépios exteriores,
mas, acima de tudo, limpando o nosso coração
de desejos cheios de presentes egoístas,
de ruídos ensurdecedores que nos alienam,
de planos muito humanos, mas pouco fraternos e divinos.

Só um coração sintonizado com a Palavra de Deus
e disponível para seguir a sua luz,
pode colocar-se a caminho da conversão
e descobrir que HOJE Jesus, Maria e José,
querem ficar em nossa casa.

O Messias devia nascer da tribo de Judá
e a genealogia que escutamos no Evangelho de hoje,
mostra que assim aconteceu segundo a Lei.
José aceita a paternidade dum Filho que o transcende
e deixa que Deus realize o seu projeto de salvação.
Também hoje acontece Natal
quando deixamos que Deus conduza a nossa vida.

Obrigado Senhor porque quiseste ser um de nós
e, sendo Filho de Deus, te fizeste Filho de Maria e de José.
Obrigado porque nos desafias a acolher-te como Irmão
e a fazer do nosso coração uma gruta acolhedora,
espaço de encontro, manjedoura de salvação.
Vem Senhor Jesus e cresce em nós, segundo a Tua Palavra.

domingo, dezembro 16, 2012

 

3º Domingo do Advento


Não temas, Sião, não desfaleçam as tuas mãos. O Senhor teu Deus está no meio de ti, como poderoso salvador. (cf. Sof 3,14-18a)

Advento é tempo de espera, mas também de certeza:
Aquele que virá na Sua glória, já veio e está no meio de nós.
O que vivemos como esperança no tempo,
é Deus-connosco no amor e salvação,
desde toda a eternidade e para sempre.
Por isso, a frase que se repete mais na Bíblia
é não temas, não tenhas medo, alegra-te.

Vivemos numa sociedade onde impera o medo.
Teme-se o outro, por isso, fazemos da casa uma fortaleza.
Teme-se o compromisso para sempre,
por isso apostamos no provisório e novidade.
Teme-se o sofrimento e a dor, por isso,
investimos na medicina dos sintomas e nas anestesias.
Teme-se a solidão e o silêncio,
por isso, procuramos companhias virtuais
e ruídos de diversão e de evasão.
Teme-se a morte, por isso, esconde-se e maquilha-se.
Teme-se o sagrado e o além, por isso,
pululam as crenças esotéricas e as práticas supersticiosas.
Onde falta a fé e a esperança no Deus do Amor,
abunda o temor e diminui a confiança e o discernimento.

Eu te louvo, meu Senhor, Criador e Salvador,
peregrino e companheiro, paciente conquistador de corações.
Obrigado pelo dom da fé que nos liberta e nos alegra
e nos faz voar nas asas da esperança e da confiança.
Dá-nos o dom da alegria e da paz,
sustentados pela Tua mão amiga e re-criadora.

sábado, dezembro 15, 2012

 

Sábado da 2ª semana do Advento


Felizes os que te viram e os que morreram no amor, porque também nós certamente viveremos. (cf. Sir 48,1-4.9-11)

Olhar para trás e recordar as pessoas
ajuda-nos a avaliar quem fez o caminho da vida
e contribuiu para que o mundo desse um passo em frente.
A verdade que brota da história, ilumina o presente,
liberta-nos do encandeamento ideológico envolvente
e dá-nos instrumentos fiáveis para projetar o futuro.

O livro de Bem Sirá olha para a vida do profeta Elias
e descobre que é o zelo por Deus e a fidelidade ao seu amor
que faz com que o profeta seja ainda hoje um modelo atual.
Por isso, declara felizes aqueles que olham para Elias
e o imitam no seu amor e fé até à morte,
porque as suas vidas serão um fogo que purifica
e as suas palavras sementes de justiça e fidelidade.

Os novos Elias, como João Batista,
serão diferentes na aparência e na atuação,
mas alimentam-se na mesma fonte da escuta contemplativa
e ardem no mesmo zelo pela confiança no Eterno.

Senhor, obrigado porque fazes da nossa vida uma aventura,
entre miragens e verdades que é preciso desbravar.
Obrigado porque nos dás a capacidade de recordar e avaliar,
para nos irmãos que já fizeram caminho,
encontrarmos sinais e alertas que asfaltam rumos.
Obrigado porque nos dás, em Jesus, o Caminho certo
para caminharmos seguros no nevoeiro da vida.
Aumenta a nossa fé e confiança
para não adormecermos na rotina nem no mimetismo da moda.

sexta-feira, dezembro 14, 2012

 

6ª feira da 2ª semana do Advento


Se tivesses atendido às minhas ordens, a tua paz seria como um rio e a tua justiça como as ondas do mar. (cf. Is 48,17-19)

Aproximar-se de Deus e escutar a Sua palavra,
é entrar no caminho da paz e da justiça,
é aprender a viver no caminho do bem e do amor.

Nada disto é automático nem simples,
a tentação de sermos senhores de nós mesmos,
o medo de obedecer e de confiar totalmente em Deus,
as diversas solicitações que vamos encontrando pelo caminho,
fazem da cada encruzilhada uma opção,
de cada instante uma decisão vital,
exercício da nossa liberdade e discernimento.
Não optar ou adiar uma opção é já uma decisão.

Senhor, meu Deus, obrigado porque és Palavra,
que fala e ilumina, que orienta e liberta,
que clama e silencia, que acompanha e anima...
Obrigado porque não te cansas de nos indicar
o caminho da vida, do amor, da paz e da justiça.
Abre o nosso coração ao acolhimento da Tua Palavra,
dócil e confiante, disponível para a conversão e o seguimento.
Aumenta em nós a fé em Ti, Senhor da Vida.

quinta-feira, dezembro 13, 2012

 

5ª feira da 2ª semana do Advento


Sou Eu, o Senhor, teu Deus, que te seguro pela mão direita e te digo: ‘Não temas, Eu venho em teu auxílio’. (cf. Is 41,13-20)

Deus apresenta-se como um pai
que segura a mão direita do seu pequenino inseguro,
ou como uma mãe que abre os braços
para o seu filho choroso, incutindo-lhe confiança.
Associa ao gesto de proximidade e acolhimento,
a palavra de ânimo e de consolação: “não temas!”
Muitas vezes, Deus não nos dá o bolo que a nossa gulodice deseja,
mas dá-nos o pão que o nosso corpo necessita,
por meio dos músculos e da inteligência própria ou solidária.

Quem não confia, chora e não procura apoio,
redemoinhando a desgraça em agressividade revoltada.
Quem confia em falsas segurança, que nos roubam a liberdade,
cambaleia sem norte, cego de ilusão e dorido da traição.
Quem confia em Deus, não vê a mão, mas sente-se amado;
não ouve a voz, mas confia nAquele que está sempre ao nosso lado.
É deixar-se orientar pela luz da fé, peregrinando infinitos,
e escutar O que habita no sagrado mais íntimo do nosso silêncio.

Senhor, obrigado pela forma libertadora com que nos amas.
Obrigado pelo paciente cuidado com que nos alentas e recrias.
Obrigado porque semeias no tempo a semente da eternidade
e nos recrias homem novo, à imagem do Teu Filho, Jesus.
Vem, Senhor Jesus, e abre o nosso coração à vida nova que desce do Céu.

quarta-feira, dezembro 12, 2012

 

4ª feira da 2ª semana do Advento


Erguei os olhos para o alto e olhai. Quem criou estas estrelas? Aquele que as conta e as faz marchar como um exército e as chama a todas pelos seus nomes. (cf. Is 40,25-31)

O profeta convida-nos a parar para contemplar,
a olhar para o alto e a maravilhar-nos com as estrelas.
Quem as criou assim tão belas e harmoniosas,
tão grandes em distância e tamanho,
embora pareçam tão pequenas e insignificantes?
É a marca de Deus criador que cintila sorrindo,
a iluminar as trevas da nossa procura de sentido.

Tudo é obra de Deus e nada existe sem Ele,
apesar de tudo, Deus oculta-se e ensombra-se,
num ato de amor e de pura liberdade,
que nos faz ver apenas a partir dos olhos da fé.

Hoje vive-se o medo do fim do mundo,
como se as estrelas tivessem perdido o rumo
e o Seu Criador estivesse ausente,
mas a verdadeira profecia é de esperança,
porque Deus “não se cansa nem fatiga,
e a sua inteligência é insondável”.

Senhor, Pai Criador, obrigado porque nos amas com amor eterno
e cuidas de nós e da natureza com um carinho terno e paciente.
Obrigado porque só Tu nos podes fazer olhar para o alto
e voar nas asas da confiança e da alegria.
Dá-nos a sabedoria da contemplação
para sentirmos a Tua presença calorosa
e aprendermos a cuidar da natureza e de cada um
com a mesma arte e fraternura libertadora. 

terça-feira, dezembro 11, 2012

 

3ª feira da 2ª semana do Advento


«Todo o ser humano é como a erva, toda a sua glória é como a flor do campo. (…) A erva seca e as flores murcham, mas a palavra do nosso Deus permanece eternamente» (cf. Is 40,1-11)

Iniciamos hoje a leitura do 2º Isaías,
um profeta, da escola de Isaías,
no final do exílio da Babilónia.
É um contemplativo que vê a vida e a história
a partir da fé no Deus criador e libertador.
Olha o exílio e lembra-se do Êxodo do Egito,
consta a fragilidade dos projetos humanos
e espera na força da Palavra do Deus
que é sempre o mesmo, ontem, hoje e amanhã.
Por isso, a sua palavra é de consolação,
a sua profecia é de esperança no Deus libertador.

Deus é Aquele que volta sempre,
porque o Amor não pode desesperar,
o coração lança raízes de união para sempre.

Senhor Jesus, obrigado porque vieste de Deus
ao exílio da nossa fragilidade
dar consistência divina à erva da nossa glória.
Obrigado porque voltas sempre,
num pulsar eterno de Amor,
para fazer do tempo eternidade.
Ajuda-nos a rebaixar os montes da vanglória agressiva e altiva
e a altear os vales do serviço humilde e solidário.
Queremos ser caminho aberto e amplo,
sem defesas, nem obstáculos, nem ratoeiras,
asfaltados pela fé, a esperança e a caridade,
para que o Sol da Justiça possa caminhar
e os irmãos a consolação possam encontrar.

segunda-feira, dezembro 10, 2012

 

2ª feira da 2ª semana do Adevnto


Dizei aos corações perturbados: «Tende coragem, não temais: Aí está o vosso Deus. (cf. Is 35,1-10)

Isaías alegra-se na esperança, porque vive da fé.
Olha o deserto e vê um jardim cheio de flores e de água abundante;
Olha exilados tristes e vê um povo em regresso triunfante;
Olha gente sem fé e vê o próprio Deus a salvar o seu povo
e a animar os corações perturbados, fortalecendo os seus joelhos.
É a festa que nasce de Deus e faz da vida um caminho sagrado,
onde o paraíso se faz tempo e a utopia se faz história.

Perante os profetas da desgraça,
que matam a esperança aos jovens
e exilam os idosos para o reino da solidão;
perante os tiranos do egoísmo que atropelam os direitos humanos
e os imperadores da mentira que corroem a confiança;
há o grito de esperança que ecoa no Advento
que nos convida a ver Deus presente onde há dor
e a não temer os monstros que nos perturbam o sonho.

Senhor Jesus, Tu és o “Deus-connosco”, o Emanuel,
sofres connosco a injustiça e nos animas a seguir a Verdade.
Ajuda-nos a promover um mundo mais justo e fraterno,
onde habite a festa para todos e brilhe o sol da esperança.
Queremos colaborar contigo na salvação da história.

domingo, dezembro 09, 2012

 

2º Domingo do Advento


Que a vossa caridade cresça cada vez mais em ciência e discernimento, para que possais distinguir o que é melhor e vos torneis puros e irrepreensíveis para o dia de Cristo. (cf. Fl 1,4-6.8-11)

Os caminhos do Senhor passam pela caridade
pura, discernida, verdadeira e gratuita.
A meta é o encontro e identificação plena com Cristo
que nos conduz pela mão, guiados pelo Seu Espírito,
e nos espera, ansioso, adultos e responsáveis,
firmes na fé e apaixonados pelo bem de todos
e a glória de Deus.

Preparar os caminhos do Senhor
é crescer no amor, bebendo a Sua Palavra,
deixando-nos conduzir pela Sua Luz.
O resultado só pode ser humildade de coração,
ascese do mal, conversão de vida,
esperança de salvação e acolhimento de misericórdia,
fé no invisível e celebração jubilosa em comunidade.

Senhor Jesus, fonte da graça e oceano de largos horizontes,
obrigado pelo Teu amor sempre renovado.
Faz-nos acolhedores do Teu Evangelho
e discípulos vigilantes da tua santidade.
Obrigado pelo abraço de misericórdia com que nos esperas,
e ajuda-nos a preparar-nos cada dia,
caminhando pelos caminhos da verdade, justiça e caridade.

 

PREPARAR O CAMINHO DO SENHOR


Mas como, perguntamos nós?
Removendo os obstáculos
À vinda do Salvador.

De forma orante e persistente,
Corajosa e tranquila,
Libertemos nossa vida
De tudo o que nos impeça
Receber o Senhor em festa,
Dando-Lhe digna guarida,
No berço do coração,
A morada que Ele escolhe
Para Sua habitação.

Que a voz da Palavra,
No silêncio escutada
E, à Luz da Fé, meditada,
Caminhemos decididos,
Na busca do essencial,
Em cada passo que damos,
Animados pela esperança
O amor e a confiança,
No Deus da eterna Aliança,
Para que a paz e a justiça,
A verdade e a simplicidade,
Sejam luzes a brilhar,
Em sinal do nosso anseio
Em acolher dignamente
O Senhor que vem salvar
Do pecado a humanidade.

Que a raiz da injustiça,
Da inveja e toda a maldade,
Dê lugar à amizade,
Qual sol que aquece e ilumina,
Sem presunção nem vaidade,
A originar vida nova
De paz, amor e justiça,
De verdade e caridade.

Ensina-me a meditar
A Palavra revelada,
Guia do caminho certo,
Para ouvir-Te, no deserto,
E avançar, sem demora,
Porque o Senhor está perto.
Maria Lina da Silva, fmm – Lisboa, 8.12.2012

sábado, dezembro 08, 2012

 

Festa da Imaculada Conceição da Virgem Santa Maria


Foi assim que Deus nos escolheu em Cristo, antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis na sua presença, no amor. (cf. Ef 1,3-6.11-12)

A grandeza de Maria manifesta-se na fidelidade do seu Sim,
como Mãe e discípula de Jesus, Seu Filho e redentor,
mas já se esconde na humildade da mulher de Nazaré,
na comunhão silenciosa e íntima com o Deus da esperança,
no seu nascimento, celebrado pela Igreja a 8 de setembro
e na sua conceção, no seio de sua mãe Ana, que hoje celebramos,
acarinhada, em festa, pelas três Pessoas da Santíssima Trindade.

A Imaculada Conceição de Maria
revela o sonho eterno de Deus para toda a humanidade:
sermos santos, participantes dum amor puro e sem medida,
que desce de Deus, por Jesus Cristo,
e anseia por louvar a Deus em todo o momento.
Em Maria tudo é tão simples e humano,
que ninguém, à sua volta, notou nada de excelente,
mas Ela ouvia a sinfonia bela e silenciosa do Céu
e aprendeu a dançar ao ritmo alegre da sua harmonia.

Maria, nossa Mãe oferecida pelo Amor até ao fim,
ensina-nos a renascer nAquele que fez de Ti a “Cheia de graça”.
Pede por estes teus filhos desgarrados e perdidos
e fortalece a nossa confiança no Sonho que pronuncia Bênção,
como fonte inesgotável de graça e misericórdia.
Faz-nos fortes na tentação e constantes na santidade,
para sermos como Tu, cheios da “graça de Deus”,
e vazios da “graça pechisbeque” que fabricamos.

sexta-feira, dezembro 07, 2012

 

VIRGEM MÃE, IMACULADA!



Virgem Mãe, Imaculada,
Mulher bem-aventurada
E Filha dilecta de Deus,
Que, em teu seio, acolheste
A mais bela maravilha
Existente sob os céus,
Jesus, que por nós nasceu,
Faz-nos dignos filhos teus!

Nós Te saudamos, Maria,
Causa da nossa Alegria,
Que, em Jesus, abriste a porta
Do céu, para dar resposta
À esperança do Povo
E ao sonho de um mundo novo!

O Teu Sim, Virgem Maria,
Fez de Ti presépio vivo
De Amor, Paz e Alegria,
Salvação do povo aflito
Que em Deus Amor acredita
E em Ti, ó Mãe, confia.
Ensina-me a dizer Sim,
Ao plano de Deus p’ra mim
E toda a humanidade,
De alma aberta e disponível,
Para, como Tu andar
Sempre atenta e sensível
Aos sinais de aflicção
Do mundo e cada irmão
Que clamam libertação,
E testemunhar Jesus,
Caminho, Verdade e Luz
Que nos traz a Salvação!

Ensina-me a crer e a amar,
A servir, na gratuidade,
E, em Deus, só confiar,
Apoiada da Palavra
Que é Luz, no caminhar!
A TI, ERGO A MINHA TAÇA,
MARIA IMACULADA,
Ó CHEIA DE GRAÇA!

Maria Lina da Silva, fmm
Lisboa, 6.12.2012


 

6ª feira da 1ª semana do Advento


Nesse dia, os surdos ouvirão ler as palavras do livro; libertos da escuridão e das trevas, os olhos dos cegos tornarão a ver. (cf. Is 29,17-24)

Nunca ouve tanta possibilidade de acesso
à leitura e à escuta da Palavra de Deus:
Bíblias impressas e disponibilizadas na internet,
programas de formação bíblica nas paróquias,
cursos de catequese e teologia à distância,
missas transmitidas pelos meios de comunicação social...
No entanto, há ruídos que nos ensurdecem
e luzes que nos encandeiam a vista
e transformam a nossa vida num deserto de fé,
num cambalear sem rumo, vagueando pela vida.

O apelo à nova evangelização
é um desafio à renovação da fé,
a ouvir a palavra de Deus, com ouvidos de discípulo
e ajudar os que não acreditam
a viverem segundo a Luz da vida, da justiça e do amor.

Senhor, obrigado pela profecia de Isaías
que manifesta a esperança num Deus que não desiste de nós
e na possibilidade da cura dum povo cego e surdo
à sintonia com a Verdade.
Obrigado, porque em Jesus,
a Palavra de Deus se fez voz humana
e o Médico dos corações se fez consultório acessível.
Cura os nossos ouvidos dos ruídos procurados,
numa ascese caldeada de silêncio e de escuta do invisível.
Concentra toda a nossa vida na Verdade sem miragens
e na Luz que ilumina o caminho da vida, sem encadear.

quinta-feira, dezembro 06, 2012

 

5ª feira da 1ª semana do Advento


Confiai sempre no Senhor, porque o Senhor é a nossa fortaleza eterna. (cf. Is 26,1-6)

Confiar SEMPRE no Senhor
e ser-lhe fiel em TODO o momento
é o que se chama verdadeira FÉ.

Na vida fragmentada que levamos,
há momentos para rezar e confiarmos em Deus,
há momentos de férias em que confiamos no agente de viagens,
há momentos de negócios, em que confiamos na avareza e na ambição,
há momentos reservados ao prazer, em confiamos na auto-satisfação,
há momentos de cegueira, em confiamos na magia e na superstição...
Somos sempre a mesma pessoa, mas o coração anda dividido,
repartido em confianças no mercado dos deuses!

Senhor, nosso Deus, obrigado porque confias sempre em nós
e a Tua aliança de amor é contínua e para sempre.
Cura o nosso coração adúltero e infiel
e reconstroi, a partir destes fragmentos desnorteados,
um homem novo, iluminado pela fé e confiado apenas em Ti.
Vem, Senhor Jesus, e aumenta a nossa fé.

This page is powered by Blogger. Isn't yours?