quarta-feira, outubro 31, 2012

 

'Repito-vos que não sei de onde sois. Apartai-vos de mim, todos os que praticais a iniquidade.' (cf Lc 13, 22-30)

A salvação do justo vem do Senhor, como dom,
e frutifica em frutos de verdade, de justiça, fé,
esperança e caridade, fidelidade e felicidade no bem.
Ser batizado e praticante, rezar e comungar,
só por si, ainda não basta para ser reconhecido por Jesus,
como outro Cristo, homem novo e filho de Deus.

É preciso passar pelo crivo da vida quotidiana,
das relações humanas e dos negócios lucrativos,
do cuidado do corpo e da afetividade,
do trabalho e do ócio procurado e oferecido,
da compaixão e do perdão sofrido...
É na forma como durmo, como vivo a solidão e a multidão,
como acolho o diferente e alimento a amizade,
como enfrento a adversidade e construo a oportunidade,
que se revela se estou sempre na presença de Deus
e sou expressão fiel de Cristo atualmente.

Senhor Jesus, obrigado pela vida que nos dás,
escola diária de fazer do instante momentos de eternidade.
Ajuda-nos a enraizar a nossa vida
na verdade e na caridade, à luz da Tua Palavra,
para que sejamos, sem falsidade, santos para Ti
e profetas e amigos que semeiam vida nova
como quem come o pão de cada dia vitalmente.

terça-feira, outubro 30, 2012

 

O Reino de Deus é semelhante a um grão de mostarda... ao fermento... (cf. Lc 13,18-21)

O Reino de Deus, a ação de Deus na história,
aparece frágil como a pequena semente de mostarda
e desproporcional como o fermento em relação à massa,
no entanto é fonte de vida nova como toda a semente
e dinâmica de transformação como toda a levedura.
Só precisa de haver alguém que acredite na semente
e crie as condições para a semear, a semeie e cuide dela.
Só necessita de alguém que confie no seu poder transformador
e o misture na massa, amasse pacientemente a farinha
e a aqueça de cuidados e de tempo
para que o fermento faça a sua parte.

A nova evangelização exige fé
no poder transformador do Evangelho.
É preciso acreditar na força renovadora da Palavra de Deus
e na dinâmica de vida nova que nasce da Cruz da doação de vida.
A fé não são conceitos para saber papagueados,
mas convicções para condimentar a vida e transformar o mundo.
A fé é não fixar-se no pânico avassalador do mal,
mas confiar a nossa vida Àquele
que por ser grande e omnipotente se faz pequeno e frágil.

Senhor Jesus, dom de vida gratuita e livre,
obrigado pela brisa suave da Tua ação
que faz novas todas as coisas sem publicidade nem ruído.
Ensina-nos o caminho do testemunho fiel e paciente
e não nos deixes contaminar pelo fermento do mal e do medo.
Faz-nos peregrinos insaciáveis da Tua Verdade
e anunciadores alegres da Tua proposta de vida,
alicerçada no amor e no serviço solidário,
no perdão e na troca do mal pelo bem.

segunda-feira, outubro 29, 2012

 

No mesmo instante, ela endireitou-se e começou a dar glória a Deus.(cf. Lc 13,10-17)

Deus criou o homem e a mulher, iguais em dignidade
e complementares na construção dum mundo sustentável.
O ser humano, ao longo da história, foi criando desigualdades
entre ricos e pobres, sábios e ignorantes, homem e mulher...
Dividiu o mundo em amigos e inimigos,
primeiro e quarto mundos, da minha religião ou tribo e os outros...

Jesus endireita uma mulher encurvada
pela doença, pela descriminação, pela exploração e pelo pecado.
Para libertar as pessoas, Jesus trabalha todos os dias,
não há folgas, nem férias, nem dias interditos.
Recuperada na sua dignidade de filha de Deus,
a mulher começa a dar glória a Deus
porque a Boa Nova dos oprimidos
desceu do seu trono inatingível e etéreo
e tomou pés de compaixão pro-ativa e próxima.

Senhor Jesus, obrigado porque nos libertas do nosso pecado
e nos restituis a dignidade de filho e a igualdade de irmãos.
Ajuda-nos a ser presença que fraterniza relações
e exalta os humildes, encurvados e minorados.
Ajuda os pobres e descriminados a libertarem-se,
não para serem iguais aos opressores,
mas para serem fermento de um mundo acolhedor,
onde a diversidade do jardim é valorizada
e não hostilizada e instrumentalizada.
Cura-nos do pecado que nos encurva egoisticamente.

domingo, outubro 28, 2012

 

30º Domingo do tempo comum

Jesus disse-lhe: «Vai, a tua fé te salvou!» E logo ele recuperou a vista e seguiu Jesus pelo caminho.(cf. Mc 10,46-52)

A fé nasce da escuta de que Jesus está a passar
e manifesta-se na convicção interior
de que só Ele nos pode escutar e salvar.
Por isso, o cego grita alto por compaixão,
ele quer ver e ser visto no seu lugar de exclusão,
não quer ficar à margem da multidão que segue Jesus.
Grita mais alto, quando o mandam calar,
porque os excluídos e invisíveis também têm voz e dignidade
capaz de ser por Deus agraciada e restaurada
e pelos homens reconhecida e abraçada.

A fé gera fraternidade e solidariedade,
coragem, levanta-te, que Ele chama-te!”.
A fé faz-nos dar um salto de alegria,
abandonar os nossos capotes de dependências
e aproximar-nos confiantes de Jesus.
A fé gera diálogo de escuta e de prece com Jesus,
sabendo que nele podemos confiar toda a nossa vida.
A fé ilumina a nossa vida com a luz da esperança
e fortifica a nossa vontade e determinação
em seguir Jesus e fazer parte do Seu caminho.

Senhor Jesus, faz que eu veja com o coração,
os Teus sinais de ternura escondidos na história e na criação
e a dignidade das pessoas,
encapotada nas estatísticas dos excluídos e marginalizados,
neste mundo de alguns, morgados de apropriação.
Dá-nos uma fé viva que nos ponha em movimento,
de seguimento fiel e conversão à Tua Palavra,
de aproximação solidária com os mais frágeis,
de anúncio e testemunho da Tua Boa Nova
universal, redentora e inclusiva. 

sábado, outubro 27, 2012

 

Senhor, faz que eu veja!


Neste mundo onde a cegueira
Está generalizada,
Quem não tenta recorrer
À clínica mais afamada,
Para encontrar a visão,
Que o livre da escuridão,
E, com ela, a liberdade
De circular à vontade?!

Porém, a visão exterior,
Ainda que um grande bem,
Fica sempre muito aquém
Da visão interior
Que só pela fé se alcança
E com esta, a segurança
De intuir e vislumbrar
Céus e terra em aliança.

Que este Ano da Fé,
Neste mundo tão descrente
Do que não palpa nem vê,
O poder da Fé em Jesus
Transforme a pedra tosca
Da vida de cada crente
Em brilhante que reluz,
Graças ao viver coerente,
À luz da Fé em Jesus!

Como o cego Bartimeu,
Que, ao sentir Jesus passar,
Logo se pôs a clamar
E a gritar, sem cessar:
SENHOR, FAZ QUE EU VEJA,
POIS QUERO FICAR A VER,
Feliz é todo o que crê
Que a luz da Fé em Jesus
Lhe permite melhor ver!

A quem quer ver para crer,
Tu interpelas dizendo:
-FELIZ, ANTES, QUEM TEM FÉ,
PARA, SEM VER, PODER CRER!

Que eu também grite por Ti,
Sempre que deixar de ver,
Por vacilar no meu crer!

Maria Lina da Silva, fmm- Lisboa, 27.10.2012

 

Julgais que esses galileus eram mais pecadores que todos os outros galileus, por terem assim sofrido? Não, Eu vo-lo digo; mas, se não vos converterdes, perecereis todos igualmente. (cf. Lc 13,1-9)

Somos todos aprendizes da arte de saber-viver.
Ao longo da caminhada encontramos estímulos
que nos animam a confiar nos músculos e a equilibrar o andar,
mas surpreendemo-nos também com os escaldões prevenidos
e os acidentes avisados da curva embriagada,
que nos ensinam a acautelar e contornar sofrimentos evitáveis.
A história é uma escola para quem quer ver e aprender,
mas também um trauma
para quem abandona esta escola antes de aprender a viver.
E quem já sabe viver plenamente
sem se chocar, cada instante, com a novidade desconhecida?

Deus fala por meio dos acontecimentos da vida
e convida-nos a rever estilos de vida, opções de felicidade,
soluções de relacionamentos, metas a alcançar.
Se abanamos a cabeça quando vemos os outros
e repetimos os mesmos erros de orientação de vida,
passamos pela vida como crianças teimosas
que fazem o contrário do que devem fazer.
O pecado é como as dependências,
uma teimosia cega e doentia,
que repete comportamentos, miragens de poder e de gozo,
vividos no instante com paixão radical,
mas sem o horizonte do passado ou do outro
que espelha e perspetiva um resultado prejudicial ao próprio,
ao bem comum e à felicidade sustentável do planeta.

Senhor Jesus, Mestre da arte de viver divinamente,
abre os nossos olhos e os nossos ouvidos
à voz de aviso que sirena nos eventos da vida,
e cria em nós um espírito humilde e discernido,
para nos convertermos ao Teu caminho de felicidade.
Que o Teu Espírito faça nascer em nós o homem novo,
que não adia para amanhã o que pode renascer hoje
e aprende a libertar-se da tirania do instante
para tele-visionar, na fé, a sustentabilidade da eternidade. 

sexta-feira, outubro 26, 2012

 

Porque não julgais por vós mesmos, o que é justo? (cf. Lc 12,54-59)

Recorrer aos tribunais é desistir de dialogar,
de procurar consensos justos para ambos.
Porque ambas as partes acham que têm razão,
precisam de um juiz independente
que julgue a justiça de cada um, segundo a Lei comum.
Os tribunais estão atulhados de processos
no âmbito laboral, patrimonial, familiar, criminal...
todos acham que os outros é que são culpados
e que eu sou inocente e lesado!
Quando uma das partes é poderosa em meios
procura comprar a razão e a justiça,
contratando advogados de evasão da lei
e de adiamento do julgamento até à prescrição.

Esta mesma ideia reflete-se no âmbito da ética
e da consciência de pecado e de culpa pessoal.
Vivemos num estado infantil cultural
em que os outros é que têm sempre a culpa
e “eu não fui, foi ele”, “eu nada fiz de mal”!
O mundo vai mal, as famílias desfazem-se à primeira crise,
a corrupção adquiriu direitos de normalidade,
a mentira aceita-se como necessária à sobrevivência...
tudo é possível nesta guerra de inculpáveis,
eu sou um anjinho a ver o espetáculo dum mundo caduco”!

Senhor Jesus ajuda-nos a ter uma consciência reta e com valores.
Ilumina-nos e conduz-nos à luz da verdade e da justiça.
Ensina-nos o caminho da humildade e da contrição
para que aspiremos à conversão e santidade de vida
e não gastemos energias em desculpas de evasão da verdade.
Ajuda-nos a descobrir no sacramento da reconciliação
a festa do perdão e da verdadeira poda da renovação.

quinta-feira, outubro 25, 2012

 

Disse Jesus aos seus discípulos: «Eu vim lançar fogo sobre a terra; e como gostaria que ele já se tivesse ateado! (cf. Lc 12,49-53)

Jesus veio à terra em Missão de transformação.
Ele anseia por ver um mundo ateado
pela paixão de servir a Deus com fidelidade.
Arde de sede por salvar a todos
da infelicidade gerada pelo pecado e a injustiça.
Está disposto a ser batizado no Jordão do Calvário
provando até à ultima gota de sangue
que no seu coração só pulsa amor e compaixão
e não há cruz que mate a Sua paixão de nos salvar.
Geme de ansiedade, numa gravidez de paciência fecunda,
por ver nascer um mundo novo com espírito de criança,
disposto a reaprender a falar boas novas,
a caminhar de mãos dadas e sorrisos entrelaçados,
a respirar fraternidade e primaveras de esperança,
a ver corações por detrás de preconceitos e racismos,
a ouvir mensagens nos silêncios das palavras
e acolher Deus sempre presente e invisível, pedagogo da liberdade.

Senhor Jesus, que nos chamas a uma nova Evangelização,
faz-nos incendiários incansáveis do fogo da Tua Missão.
Desperta em nossos corações a paixão de vos seguir
e vos anunciar com fidelidade a toda a criatura.
Liberta-nos do medo da indiferença e da crítica,
do comodismo egoísta e dum cristianismo morno e amorfo.
Fortalece o nosso testemunho perseverante
quando temos que fazer o caminho do Calvário
e ser submetidos ao batismo da perseguição injusta
por causa do Teu Evangelho e da fé no Teu amor redentor.

quarta-feira, outubro 24, 2012

 

Quem será, pois, o administrador fiel e prudente a quem o senhor pôs à frente do seu pessoal para lhe dar, a seu tempo, a ração de trigo? (cf. Lc 12,39-48)

Preparamo-nos para o encontro com o Senhor,
encontrando-nos com Ele na intimidade da oração,
mas também na prática da justiça e da caridade.
Uma pessoa que não reza conhece Deus apenas de ouvir falar,
uma pessoa que diz acreditar em Deus
e não pratica a justiça e caridade no dia a dia,
Deus, Amor e Justo, não o reconhece como discípulo
e denuncia, como falsa, a sua pretensa religiosidade.

Quanto mais esclarecida é a fé
maior é responsabilidade na prática da justiça e do amor.
Quanto maior é a responsabilidade civil ou religiosa,
maior deve ser a fraternidade e tratamento justo
para com todos os que estão sob a sua responsabilidade.
Quem cuida apenas dos seus amigos, dos do seu clube,
dos da sua tendência política, dos da sua igreja,
dos da sua tribo, dos do seu país, dos da sua classe social...
e deixa os outros de fora, insensíveis à sua sorte,
ainda não conhece o Deus PAI-NOSSO,
nem Aquele que morreu por TODOS na Cruz,
nem o Espírito que renova a face de TODA a terra.

Senhor Jesus que nos deste tanto,
em dons da terra, em intercessores no Céu,
em palavras que iluminam a fé,
em meios de salvação e graça que fortalecem a nossa fragilidade,
ajuda-nos a ser bons administradores de tantos dons,
e a ver e a tratar os outros como irmãos a quem amamos.
Ajuda também os nossos responsáveis políticos e religiosos
a não deixarem ninguém de lado,
nem a acharem normal que para salvar o todo,
uma parte significativa deve ser sacrificada e marginalizada.

terça-feira, outubro 23, 2012

 

Felizes aqueles servos a quem o senhor, quando vier, encontrar vigilantes! Em verdade vos digo: Vai cingir-se, mandará que se ponham à mesa e há-de servi-los(cf. Lc 12,35-38)

Vigiar é viver desperto para o essencial,

Há muita gente que faz da noite dia
e da luz elétrica sol de proximidade
para trabalhar, se inspirar e divertir,
mas adormece quando a aurora nasce,
por detrás de persianas de ausência e de indiferença
ou persiste caminhando aos encontrões, adormecido em pé.

Jesus diz-nos que é feliz quem vigia,
espera e está atento à voz inesperada de Deus
que bate à nossa porta como Senhor que ama.
Feliz é aquele cuja vigilância o encontra sempre preparado
e disponível para acolher a novidade de Deus
que enche de luz e paz a nossa vida.
Feliz é aquele que encontra Deus quando ama o próximo
e o serve com o carinho dum irmão e amigo.

Senhor Jesus que Te escondes para seres desejado
e Te ausentas para seres esperado
num exercício misterioso que nos faz crescer em liberdade,
ajuda-nos a não vigiar para nós mesmos
nem a adormecer para nos evadirmos de Ti e dos outros.
Ensina-nos a viver em paz inquieta e iluminada,
a descansar tranquilos na palma da Tua mão
e amar incansavelmente a Ti e ao irmão.
Faz-nos felizes e despertos para a esperança,
para fazermos a experiência inaudita
de sermos servidos pelo nosso Senhor
no pão da Eucaristia e no sol de cada dia,
no perdão gratuito que nos lava os pés e a alma,
no banho da alegria que perfuma as nossas relações
de humanidade e sabor a eternidade.

segunda-feira, outubro 22, 2012

 

Assim acontecerá ao que amontoa para si, e não é rico em relação a Deus. (cf. Lc 12,13-21)

Amontoar para si é achar que o tempo é eterno
e as riquezas seguranças divinas que nos salvam.
Quem vive assim, engorda os sonhos de coisas,
angustia-se com o amanhã e ladrões escondidos,
insónia a sua vida de fantasmas de carência e de fraude,
mirra em carinho e solidariedade,
esgota as energias e as horas em trabalho escravo,
sonhando que um dia vai descansar tranquilo
vivendo dos rendimentos entesourados.

De repente descobre que é frágil e o coração está cansado,
e que as riquezas não o curam nem o salvam,
e que estão de mãos vazias e o coração desavisado
para viver a verdadeira vida, a que é eterna,
e encontrarem-se com Aquele que nos criou,
nos amou silenciosa e abundantemente
e nos espera triste por nos ver
encurvados sobre o nosso umbigo.

Senhor Jesus ensina-nos a aprender a viver
e a tornar-nos ricos perante o Pai de misericórdia.
Que o Teu Espírito alargue o horizonte dos nossos sonhos
e os encha de amor ao próximo e de fé no Eterno.
Ensina-nos a peregrinar com esperança,
alimentando-nos da partilha atenciosa,
das horas gratuitas para saborear o outro,
do perdão repartido como bolinho de Páscoa,
de tempos sagrados para contemplar a ternura do invisível,
de cheques em branco de sorrisos e ouvidos.

domingo, outubro 21, 2012

 

29º domingo do tempo comum, Dia Mundial Missionário


Concede-nos que, na tua glória, nos sentemos um à tua direita e outro à tua esquerda. (cf. Mc 10,35-45)

Celebramos hoje o dia da Missão da Igreja:
evangelizar quando celebra e festeja,
evangelizar quando serve os necessitados,
evangelizar quando vive em comunidade e família,
evangelizar quando se envolve na construção do mundo,
evangelizar quando respira o quotidiano e calça as pantufas
evangelizar quando parte migrante e cooperante da Fé.

A Missão da Igreja é seguir permanentemente Jesus
e partir de si, num ir sem descanso ao encontro do outro,
estando sempre pronta para dar razões da sua esperança
e revelar com alegria Aquele que é o “Trono da graça”.

Jesus vai à frente do caminho a marcar o ritmo do “ide”.
Os discípulos seguem-no neste caminho,
mas sonham com assentos de honra e de descanso,
com tronos de poder e de domínio,
que os liberte de servir e de peregrinar amores perfeitos
e lhes dê autoridade reconhecida e legítima
para pôr os outros ao seu serviço.

Senhor Jesus obrigado porque és Missão
e não Te cansas de nos servir a esperança da salvação.
Obrigado porque nos fazes sócios da Tua Missão
e nos animas a não procurar assentos de descanso e de mando,
mas músculos de serviço e de entrega,
pulmões de renovação e de anuncio de boas novas,
coração forte nas lutas contra o mal
entranhas de compaixão que geram solidariedade
e joelhos que agradecem tão bela redenção.

sábado, outubro 20, 2012

 

VOCAÇÃO CRISTÃ/MISSIONÁRIA


Ide por todo o mundo,
Ide levar a Boa Nova
Aos pobres, sedentos
De justiça e paz,
De amor e libertação,
Mas que ainda desconhecem
Ou, infelizmente, se esquecem
Que Cristo é a Salvação.

Este teu grito de Amor
Fez vibrar meu coração
E me deixou inquieta.
Foi, então, que decidi,
Confiante em ti, Senhor,
Abraçar esta Missão
De testemunhar Jesus,
Caminho, Verdade e Luz,
E Porta da Salvação.

Senti que me seduziste,
Falando-me ao coração,
Me chamaste e enviaste
A, sem medo, anunciar-te,
Sempre e por toda a parte,
A amar, como me amaste
E a servir como serviste,
Para a todos proclamar
Que só Tu, podes salvar.

Por isso, centrada em Cristo,
Que é Pão e é Palavra,
E segura em sua mão
Que nos agarra e não larga,
O apelo virou paixão:
Testemunhar Jesus Cristo,
Atenta ao grito do pobre
E do coração aflito,
Com fome de Amor ou de Pão.

Ajuda-me a saborear
A Missão de Evangelizar,
Como Bênção de Amor e Graça,
Qual lâmpada, em Ti, acesa
A espalhar Luz onde passa.

Maria Lina da Silva, fmm
Lisboa, 20.10.2012

 

Todo aquele que se declarar por mim diante dos homens, também o Filho do Homem se declarará por ele diante dos anjos de Deus. (cf. Lc 12,8-12)

A forma como vivemos, atuamos ou silenciamos
é sempre uma mensagem das opções que fazemos.
Se nos dizemos cristãos, não há espaço para férias de Cristo,
nem tempos sagrados e tempos profanos,
nem momentos de negócios e instantes religiosos.
Toda a nossa vida ou é por Cristo ou contra Cristo,
ou revela um discípulo de Cristo e da sua proposta de vida,
ou mostra um infiltrado que veste a camisola de Cristo,
mas, na realidade, joga contra a equipa de Cristo.

Há muitas formas de nos declararmos contra Jesus:
há o pecado manifesto que escandaliza o crente e o não crente,
há a duplicidade de vida que tenta conjugar
religiosidade praticante com mundanidade irritante,
mas há também a omissão acomodada
e a neutralidade acobardada que cala a injustiça.

Senhor Jesus obrigado porque nos chamaste a seguir-Te.
Obrigado porque, perante tantas falhas e incoerências,
cada dia nos dás mais uma oportunidade de recomeçar
e mostrar com a palavra e a vida que somos da Tua equipa,
que pertencemos ao clube dos aficionados que Te amam.
Faz-nos obedientes à Tua Palavra de “Mister”,
neste campo de treino que é a vida neste mundo,
para que aprendamos a arte de servir livremente,
de fintar a tentação com discernimento e oração,
de partilhar jogadas com solidariedade e espírito de comunhão,
de marcar golos de amor gratuito e fidelidade heroica,
de entusiasmar outros para jogarem nesta equipa 
do bem para todos e para sempre. 

sexta-feira, outubro 19, 2012

 

Nada há encoberto que não venha a descobrir-se, nem oculto que não venha a conhecer-se. (cf. Lc 12,1-7)

O que era normal na adolescência,
começa a ser comum na conceção geral da existência:
há a vida privada, normalmente pouco luminosa,
e a vida pública, mais acautelada e cuidada.
Os pecados privados são escondidos ardilosamente
e dificilmente se confessam arrependidos.
Os feitos públicos são pelo próprio manifestos
e sonoramente e orgulhosamente publicitados.
Há assim “dois em um”, mentira transvestida de santidade,
que não cresce nem deixa crescer
e contamina a sociedade com o fermento da hipocrisia.

Aquele que pensa ter fé e acreditar na Verdade,
ao viver tranquilamente nesta esquizofrenia,
mostra que não acredita nAquele que vê o oculto
e conhece o coração de cada um e em todas as situações.

Senhor Jesus que nos queres ver adultos na fé,
íntegros na verdade e silenciosos no bem,
ajuda-nos a ser coerentes e transparentes,
pessoas que querem curar-se e converter-se realmente.
Liberta-nos do fermento da hipocrisia e da fraude escondida.
Transforma-nos em fermento duma sociedade
corresponsável e amiga do bem comum,
justa e solidária sem marketing,
luminosa na fé e fiel no testemunho,
peregrina humilde em conversão permanente.

quinta-feira, outubro 18, 2012

 

A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. (cf. Lc 10,1-10)

Celebramos hoje o evangelista S. Lucas.
Já no seu tempo, ele sentia a falta de compromisso
dos cristãos da sua Igreja com a fé e a Missão.
Por isso, o Evangelho de Lucas e os Atos dos Apóstolos
são um constante pedido de oração e de mandatos de envio.
Já no seu tempo, Lucas sentiu a necessidade
de uma revitalização da fé e de uma nova evangelização.

Estatiscamente, somos ainda um bom número de cristãos,
no entanto, quando precisamos de cristãos-fermento
no trabalho, na sociedade, na política, na família e na Igreja
são poucos os que estão disponíveis e ativos.
As vocações consagradas e sacerdotais baixaram,
no entanto, o número talvez fosse suficiente
se todos vivêssemos como facho ardente de fé
e coração a transbordar da Boa Nova de Jesus Cristo.

Pai, cheio de bondade e de misericórdia,
aumenta a nossa Fé em Jesus, Teu Filho
e fortalece os nossos pés temerosos e acomodados.
para que estejamos sempre disponíveis e animados
para trabalhar na Tua Messe com alegria e fidelidade.
Liberta-nos do medo e alarga o espaço da nossa tenda
e o horizonte da verdade do nosso testemunho.

quarta-feira, outubro 17, 2012

 

«Ai de vós, também, doutores da Lei, porque carregais os homens com fardos insuportáveis e nem sequer com um dedo tocais nesses fardos! (cf. Lc 11,42-47)

Hoje é o Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza.
Houve avanços nos países emergentes,
mas a crise veio acentuar as desigualdades sociais
e a criar um fosso maior entre os mais ricos e os pobres.
Os países desenvolvidos fecham-se à cooperação
com os países em vias desenvolvimento e mais pobres.
Há muita gente que morre sem assistência médica,
nem o acesso à alimentação mínima de cada dia,
enquanto uns “doutores cangalheiros” vivem insensíveis
dos juros da dívida e da especulação do mercado.
A classe política gere o país como se fossem patrões,
colocando fardos insuportáveis sobre quem não pode fugir,
sem mostrarem sinais visíveis de que aceitam desistir
de algumas mordomias incompreensíveis num país falido.

A pobreza é um sintoma de anemia de fraternidade!

Senhor Jesus ensina-nos a caminhar juntos,
a não deixar ninguém para trás,
a esperar uns pelos outros, apoiando-nos mutuamente.
Faz com que as dietas de emagrecimento
se transformem em partilhas solidárias,
e os banquetes de desperdício
em festas de vida para todos.

terça-feira, outubro 16, 2012

 

Insensatos! Aquele que fez o exterior não fez também o interior? (cf. Lc 11,37-41)

Há uma grande preocupação com a aparência
e pouco investimento com a integridade interior,
a beleza de caráter, a fidelidade do coração.
A vida sonha-se espetáculo, onde procuramos ser artistas.
Por isso, gastam-se calorias nos ginásios de adelgação,
frequentam-se praias de sol ou solários de bronzeamento,
servem-se dietas inconstantes de emagrecimento,
sofrem-se cirurgias estéticas de rejuvenescimento,
encomendam-se alterações de imagem política e social...

Jesus alerta-nos que a vida é um todo, interior e exterior,
e que Deus olha mais para a pureza de coração,
do que para a marca da roupa que se usa,
ou a maquilhagem de imagem que se fez,
ou o carro, cargo ou vivenda que se tem.
As pessoas que convivem com estas pessoas "famosas",
agradecem descobrir pessoas íntegras na relação,
capazes de amar e respeitar o outro,
sensíveis aos pobres e aos fracos,
felizes, cheios de esperança e compassivos.

Senhor Jesus ajuda-nos a investir mais na verdade,
na beleza interior e na santidade,
na formação da consciência reta,
naquilo que só Tu podes ver e saber.
Dá-nos um coração puro e uma vida oculta luminosa,
perfumada por valores e ética fraternas,
generosa na verdade e no amor. 

segunda-feira, outubro 15, 2012

 

Assim como Jonas foi um sinal para os ninivitas, assim o será também o Filho do Homem para esta geração.(cf. Lc 11,29-32)

Jonas e Nínive são dois grandes sinais
para os dois grandes desafios do nosso tempo.

Nínive é sinal duma sociedade perversa
que se afunda e definha numa crise mundial
por causa da ganância voraz de alguns,
do engano e da fraude embalados com profissionalismo,
do afastamento de Deus e dos valores éticos...
Esta cidade não precisa apenas de corrigir o défice,
para, logo que possa, voltar à mesma mentira de vida,
desvario de objetivos e consumo de novidades,
vendido pelo marketing de ideias políticas e sociais.
Esta cidade precisa de escutar os Jonas de hoje,
enviados por Deus a revelar onde está o mal e a solução,
a convidar à conversão verdadeira de vida.

Este é o segundo sinal, Jonas,
que hoje se chama Nova Evangelização.
Como então, mete medo partir para as Nínives de hoje,
despedidos de força e de fama de líderes espirituais,
e anunciar simplesmente a Palavra de Deus,
denunciar claramente o mal e a mentira de vida em que se vive,
apontar caminhos de conversão e de esperança.

Senhor Jesus perdoa as vezes em que, como Jonas,
eu fujo da Missão, silencio a Tua Palavra de vida,
deixo que tudo continue na mesma,
acobardado pelo medo do ridículo e da perseguição.
Envia-nos o Teu Espírito, aumenta a nossa fé
e fortifica os nossos pés missionários.

Senhor Jesus, eu também faço parte desta Nínive perversa,
que não escuta os Jonas que vais enviando cada dia,
não respondendo conversão, mas acomodando-me à rotina do pecado.
Ajuda-nos Senhor a estar atentos a todos os apelos de conversão,
venham eles de onde vierem: uma criança, um estrangeiro,
um mendigo, alguém doutra religião, uma estatística,
um leigo, um sacerdote, um bispo, um papa...
Senhor, renovava-nos a partir da Verdade que ama.

domingo, outubro 14, 2012

 

URGE ORAR PARA SABER OPTAR


Em pleno Mês das Missões,
Sinto o dever de fazer,
Na Fé, melhores opções.
Por isso, Te peço, Senhor,
Me ajudes a entender
E a, sem medo, acolher,
Tuas propostas de Amor,
Aberta à tua graça,
Para as poder pôr em prática,
Pois sabes quanto sou fraca.

Sei que preciso orar,
Dia-a-dia, sem cessar,
Para Escutar tua Voz
Que me indica a solução,
Para a dor e aflição
Que sufoca o coração
Dos irmãos tristes e sós,
Sedentos da Boa Nova
De Jesus que é salvação,
Para quem n’Ele acredita
E, por isso, não pratica
Qualquer tipo de opressão.

Que a Luz da tua Palavra,
Que a Fé cristã consolida
E abre horizontes novos
À esperança que rebrilha
No grande sonho dos povos,
Que anseiam por paz e bem,
Justiça e amor, também,
Ilumine, quem se diz crente
E solidário se sente,
P’ra saber testemunhar
Que sábio é quem acolhe
O que Deus lhe revelar,
Evitando a armadilha
De preferir o que brilha,
Porém, seu ser esvazia,
Aliena e desvia
Da Fonte de Sabedoria,
De Paz, Amor e Alegria!

Como Salomão, desejo,
Sejas, Senhor, minha Luz,
Que à Paz e ao Bem me conduz,
Sempre centrada em Jesus.
Maria Lina da Silva, fmm – Lisboa,13.10.2012

 

28º Domingo do tempo comum


Mas, ao ouvir tais palavras, ficou de semblante anuviado e retirou-se pesaroso, pois tinha muitos bens.(cf. Mc 10,17-30)

O que nos faz andar de semblante anuviado e pesaroso?
O medo do futuro e a falta de segurança de ser amado!
É por isso que um desempregado anda triste,
o que paga para ser amado se sente vazio,
quem foi traído e trocado por outro se sente rejeitado,
quem rouba vive inquieto, com receio de ser descoberto,
quem aborta ou mata o bom nome do outro, lhe adoece a paz,
quem é avarento vive cego de fraternidade!

É por isso que quem não tem fé na eternidade
vive temeroso do amanhã
e agarrado às seguranças do “pássaro na mão”,
que podem ser riquezas, honras, glórias,
prazeres que embebedam a consciência,
amizades ciumentas e predadoras...

Senhor Jesus liberta-nos de tudo o que nos traz pesarosos
e nos impede de sermos livres e felizes,
e de Te seguirmos de coração leve e olhar radiante.
Aumenta a nossa fé na rocha firme da Tua salvação.
Queremos ser cidadãos do Infinito,
peregrinos de horizontes escancarados de amor puro
e aprender a caminhar juntos como irmãos,
guiados pelo Teu Evangelho de vida e de esperança.

sábado, outubro 13, 2012

 

Enquanto Jesus falava à multidão, uma mulher, levantando a voz no meio da multidão, disse... (cf. Lc 11,27-28)

Hoje, mais uma vez, a Cova da Iria
se transforma num mar de gente sedenta de Deus,
num monte Tabor que transfigura Cristo, enquanto reza,
num altar em que se proclama a Palavra da salvação,
num pentecostes de Fé, unidos no mesmo amor e louvor.

Enquanto Jesus fala à multidão,
vinda de todos os recantos do mundo,
uma Mulher levanta a voz e diz:
Felizes vós que encontrastes o Meu Filho e O escutais!
Felizes vós que nele confiais a vossa vida e salvação!
Felizes se voltardes radicalmente e totalmente para Deus
pela porta estreita da oferta de vós mesmos,
seguindo o caminho que o meu Filho vos ensinou.
Fazei tudo o que Ele vos disser
e voltareis mensageiros da paz e arautos da esperança!

Senhora que do Céu descestes e connosco peregrinais,
obrigado porque nos acolheis como filhos e nos amais.
Obrigado pelo Teu exemplo de fé e de seguimento
que nos anima a caminhar e a acreditar.
Intercede por nós nas horas de tristeza e desânimo,
nos momentos em que somos enganados pelo mal
e nos afastamos da Palavra e do Pão da Vida.
Continua a convocar o Povo de Deus
para escutar a voz do Teu Filho
e a viver em estado de conversão,
de louvor quotidiano ao Senhor,
de oferta da vida e das suas cruzes pela salvação de todos. 

sexta-feira, outubro 12, 2012

 

Quem não está comigo está contra mim, e quem não junta comigo, dispersa. (cf. Lc 11,15-26)

Neste mundo do assim a assim,
do hoje sim, amanhã talvez não,
pois tanto me faz com me fez,
procuram-se formas cómodas de neutralidade,
estratégias silenciosas de não compromisso,
perante questões fundamentais da vida como:
a fé, a justiça, a verdade, a felicidade, o amor...
Nesta massa anónima de espetadores de janela ou de ecran,
todos criticamos os outros e nos lamentamos do mundo,
mas poucos se comprometem e dão a cara
pela sua Fé e uma ética de seguimento,
por uma sociedade mais justa e solidária,
por uma política menos corrupta e mais inclusiva.

Senhor Jesus, obrigado porque nos queres libertar
dos demónios da guerrilha anónima que ataca por detrás,
da crítica fácil que só vê defeitos nos outros e divide,
das estratégias do salve-se quem puder,
do império dos sentidos e do capricho do apetece-me...
Ajuda-nos a comprometer verdadeiramente contigo,
a sermos cristãos com coluna vertebral para combater o mal
e humildade humana para recomeçar cada dia,
guiados pela Tua palavra, num caminho da conversão pessoal.
Senhor, neste Ano da Fé,
faz-nos entrar pela porta da perseverança
que não foge à cruz nem adormece na rotina.

quinta-feira, outubro 11, 2012

 

Digo-vos, pois: Pedi e ser-vos-á dado; procurai e achareis; batei e abrir-se-vos-á; (cf. Lc 11,5-13)

Hoje inicia-se o Ano da Fé.
Bento XVI quer centrar-nos sobre o alicerce da vida cristã:
o encontro pessoal com Cristo vivo
leva-nos a confiar plenamente nele e a seguir o Seu Caminho,
a viver como Ele no Amor e na esperança,
e a continuar a sua Missão evangelizadora no mundo.

A oração que nasce da fé confia, pede, procura, bate à porta...
Sabe que Deus concorre em tudo para o bem daqueles que ama.
Não compreende os desígnios de Deus,
mas abandona-se confiado nas Suas mãos.

Senhor Jesus sou um ceguinho do meu bem.
Procuro muitas vezes a felicidade em caminhos de perdição
e, mais tarde, reconheço que pacientemente me escutaste
e aos poucos me fostes conduzindo 
por outros caminhos de felicidade.
Envia-nos o Teu Espírito e inspira-nos o que havemos de pedir,
desejar, procurar, lutar por conseguir.
É na Tua Luz que podemos ver a luz
e caminhar nos caminhos da fé e da eternidade.

This page is powered by Blogger. Isn't yours?