quinta-feira, maio 31, 2012

 

Visitação de Nossa Senhora

Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, o menino saltou-lhe de alegria no seio e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. (cf. Lc 1,39-56)

Maria é fecundada pelo Espírito de comunhão
e no seu seio cresce o Caminho da salvação.
Ela faz-se caminho e visitação
com pés que proclamam a Boa Nova nas montanhas
no silêncio do encontro dos mistérios gémeos da fé.


Maria leva o Messias ao Precursor,
a alegria do Espírito à velhice fecunda,
Isabel vê na fé a "Mãe do meu Senhor",
João rejubila por nascer e ser profeta da Vida. 


Senhora da Visitação faz-nos ser caminho
com pés de encontro e mãos de serviço,
e ensina-nos a ser boa nova e alegria
aquele que geme solidão e desesperança.


quarta-feira, maio 30, 2012

 
«Mestre, queremos que nos faças o que te pedimos.» (cf. Mc 10.32-45)

Jesus vai à frente dos discípulos para Jerusalém.
Eles caminham temerosos e preocupados 
com o que lhes pode acontecer.
Jesus fala-lhes da fidelidade na perseguição,
na força da vida que serve e se entrega.
Tiago e João pensam em si e na sua glória,
e pedem a Jesus que lhes reserve um lugar de honra
só para os dois, um à direita outro à esquerda.
É a oração do "venha a mim o vosso reino"!


Hoje, no meio desta crise, há muito cristão
que continua a pensar só em si
e, em nome de um lugar de honra,
dum cargo de poder, duma soma de suborno,
é capaz de vender a alma ao diabo
e virar as costas e fechar os ouvidos a Cristo.
E a atual crise, que é fruto da injustiça distributiva,
acaba por se aprofundar ainda mais 
nesta sôfrega procura dos bens e honras só para mim.


A receita que Jesus nos dá é outra:
"entre vós não deve ser assim,
fazei como Eu que vim para servir e dar a vida
para salvar a todos!"


Senhor ensina-nos o caminho novo da vida.
Vida que se cuida, se serve e entrega,
para que TODOS tenham VIDA e vida em abundância. 

terça-feira, maio 29, 2012

 
Muitos dos que são primeiros serão últimos, e muitos dos que são últimos serão primeiros. (cf. Mc 10,28-31)

A vida tornou-se numa competição para ver quem é o primeiro.
Na luta pelo primeiro lugar, parece que vale tudo:
mentir, roubar, usar de violência, descuidar a saúde...
O pódio é, normalmente, efémero e a glória estrela cadente.
Outras vezes a meta é apenas aparecer e ser notado, 
nem que seja por maus motivos.


Jesus convida-nos a olhar o mundo ao contrário,
ou melhor, a vê-lo como ele é de fato:
o que nos faz grandes não são as coisas que temos,
mas o coração que somos e a fé que servimos,
é o amor que partilhamos e a liberdade que desfrutamos,
é a esperança que faz o tempo florescer eternidade
e olhar o mundo com simplicidade e ternura.


Senhor que nos fazes ser senhores pequeninos
liberta-nos da ginástica do aparecer
e concentra-nos na fisioterapia do SER em Ti!

segunda-feira, maio 28, 2012

 
Falta-te apenas uma coisa. (cf. Mc 10,17-27)

No caminho para a santidade e a vida eterna
falta-nos sempre uma coisa mais.
Se vivemos apenas com normas subjectivas
falta-nos conhecer e seguir os 10 mandamentos.
Se já cumprimos os 10 mandamentos,
falta-nos viver segundo o mandamento do amor.
Se já vivemos no amor,
falta-nos ainda amar como Jesus.


A vida é um caminho, com altos e baixos,
avanços e recuos até chegarmos à meta
de ser tudo em Cristo.
Mas o que conseguimos ser hoje,
precisamos de o prosseguir com fidelidade,
numa tensão para Mais, amanhã.


Senhor do ainda não basta,
ajuda-me a viver na busca do que ainda falta.

domingo, maio 27, 2012

 

Domingo de Pentecostes


Em seguida, soprou sobre eles e disse-lhes: «Recebei o Espírito Santo. (Jo 20,22)

Os discípulos vivem fechados por causa do medo.
Querem seguir Jesus, mas não querem assumir a cruz.
Escondem-se para não se exporem à perseguição.
Querem ser discípulos de Jesus, mas só pensam em si.

Jesus podia ter desistido destes discípulos fracos,
que não valem para nada, a não ser para fazer número,
pois a missão não se faz com estatísticas!
Mas Jesus não desiste de acreditar em nós,
vem ao nosso encontro, fechados na casa do medo,
dá-nos a sua paz e sopra sobre nós o Seu Espírito,
porque as portas e muralhas exteriores
precisam de gente de paz no interior.

Conduzidos pelo seu Espírito,
poderemos libertar-nos do medo de nos perdermos,
da vergonha de sermos diferentes,
da paralisia da falta de fé.
Com o Espírito Santo
o fraco torna-se forte,
o pouco muito,
o mortal imortal,
a adormecimento do pecado em vida da graça.

Vem Espírito Santo e conduz-nos
para podermos ser e crescer
até à estatura de Cristo.

 

VEM ESPÍRITO SANTO


Vem, Espírito Santo,
Com tua Luz refulgente,
Afastar de vez as trevas
Que ofuscam nossa mente,
Impedindo-nos de ler
Tantos sinais da bondade
E do amor de Deus impresso
Em nós e no universo,
Revelando-Se um Pai terno
A abraçar a humanidade.

Vem, Espírito Santo,
Que és fogo ardente de amor,
Dar-nos da fé o vigor,
Entusiasmo e encanto,
Para acolher o dif’rente
Com o sentimento gozoso
De um coração generoso,
Para que a Paz aconteça
E a Caridade floresça,
Dando muitos e bons frutos,
No tronco da Esperança,
Com sabor à confiança
No Deus da eterna Aliança.

Vem, Espírito Santo,
Fonte de Sabedoria
E verdadeira Alegria!
Vem, doce Fortaleza,
Consolação e Firmeza,
Ensinar-nos o segredo
De testemunhar, sem medo,
A fé viva em Deus Amor
Que propõe ao mundo inteiro
Seu projecto salvador,
Mostrando, em Jesus seu filho,
Quanto nos amou primeiro.

Vem, Espírito Santo,
Recriar a nossa vida,
Para sermos testemunhas
Do Amor de Deus, sem medida,
Compassivo e clemente,
Que ama e salva toda a gente.

Maria Lina da Silva, fmm
Lisboa, 21.05.2010

sábado, maio 26, 2012

 
Há ainda muitas outras coisas que Jesus fez. Se elas fossem escritas, uma por uma, penso que o mundo não teria espaço para os livros que se deveriam escrever. (cf. Jo 21,20-25)

Os evangelhos não são uma reportagem exaustiva 
de tudo o que Jesus fez e disse.
São apenas o testemunho vivido e sentido
de quem se deixou tocar pela palavra e pela vida de Jesus.
São um testemunho de fé e não narrativas jornalísticas
para satisfazer a nossa curiosidade.
Os evangelhos e toda a Bíblia,
são para ler e acolher como Palavra de Deus,
e, acreditando, fazer o que Jesus fez
e assim cada um se tornar um livro vivo
onde Jesus continua a falar e actuar hoje.


A nossa vida é um livro aberto onde todos podem ler.
Uns deixam que o Espírito escreva vidas reais,
muito semelhantes à de Jesus,
que se tornam um estímulo para que outros acreditem 
e sigam também Jesus vivo em nós.
Outros gastam energias em resistir ao Espírito
e em esconder as mensagens que realmente emitem
ou em representar aquilo que não são.
Os primeiros são os evangelhos vivos 
espalhados pelas bibliotecas vivas do mundo
e que habitam em famílias e mosteiros,
em hospitais e escolas, em associações e partidos,
a mostrar a alegria de ser um pedacinho de Jesus.


Senhor quero pertencer ao livro do Teu Evangelho
Deixa que em mim, o Teu espírito possa escrever livremente,
pois só Tu tens Palavras de Vida Eterna.


sexta-feira, maio 25, 2012

 
«Simão, filho de João, tu amas-me?» Ele respondeu: «Sim, Senhor, Tu sabes que eu sou deveras teu amigo.» Jesus disse-lhe: «Apascenta as minhas ovelhas.» (cf. Jo 21,15-19)

Jesus pergunta a Pedro e a cada um de nós
se estamos dispostos "a amar como Ele",
a dar a nossa vida pelos amigos.
Pedro responde que só consegue ser "amigo",
pois a experiência da negação e a fuga perante a cruz,
leva-o a ter medo de tornar a falhar.
Jesus à terceira vez, aceita este "amor limitado"
deste colaborador frágil e pecador,
e pergunta-lhe se ao menos é seu amigo.
Pedro fica triste perante tanta insistência
e compreende que só o amor sustenta o seguimento,
só a fidelidade até à cruz pode levar a cuidar do outro
como o Bom Pastor, como o Pai do filho pródigo.


Senhor Jesus Tu sabes tudo,
o que nos habita o coração e quem o ocupa,
envia-nos o Teu Espírito de Amor
e fortifica em nós o seguimento e a fidelidade
para, na experiência do nosso amor limitado e ferido, 
podermos acolher o Teu amor incondicional
e tornar-nos cuidadores apaixonados 
de cada pessoa e da sua salvação. 


quinta-feira, maio 24, 2012

 
Pai santo, não rogo só por eles, mas também por aqueles que hão-de crer em mim, por meio da sua palavra, para que todos sejam um só, como Tu, Pai, estás em mim e Eu em ti; (cf. Jo 17,20-26)

Jesus continua a rezar pelos apóstolos
e por todos nós que somos fruto da sua pregação.
Reza para vivamos na unidade e no amor,
à imagem da unidade e do amor Trinitário.



Infelizmente, fomos criando diversas igrejas separadas
e instalámo-nos na divisão e muitas vezes na confrontação.
Precisamos de nos unir à oração de Jesus pela unidade,
de rezar uns pelos outros com amor e com dor,
pedir ao Pai missionários e pastores
construtores de comunhão e não de muralhas,
geradores de Corpo unido e diversificado nos seus membros,
e não de guetos fechados de santos inimigos.


Pai Santo e Jesus nosso salvador,
enviai-nos o Vosso Espírito de comunhão
e fazei-nos peregrinos permanentes da Verdade,
na diversidade e riqueza das nossas procuras.

quarta-feira, maio 23, 2012

 
Não te peço que os retires do mundo, mas que os livres do Maligno. (cf. Jo 17,11-19)

Jesus reza por cada um de nós.
Entrega-nos à proteção do Pai
e pede-nos que nos livre do mal.
De facto vivemos num mundo 
cheio de luzes virtuais e tentadoras
e precisamos do Espírito de Deus
para sabermos escolher a Luz verdadeira.


O mal apresenta-se apetecível,
promete a felicidade do momento,
coroa-nos com promessas de poder e de glória,
hipnotiza-nos com mentiras bem prendadas.
Só que, quando despertamos para a Verdade e a realidade,
o prazer dói-nos no estômago,
a glória torna-se num pesadelo,
o poder numa mão cheia de nada,
agrafada a um conjunto de procedimentos 
que nos envergonhamos de ter feito.


Senhor Jesus continua a rezar por nós,
livra-nos do mal e fortalece-nos com o Teu Espírito
para que possamos continuar a Tua Missão
de testemunho e de anúncio da Tua Verdade e Salvação.

terça-feira, maio 22, 2012

 
Pai santo, Tu que a mim te deste, guarda-os em ti, para serem um só, como Nós somos! (cf. Jo 17,1-11)

Deus é uma comunhão de amor entre três pessoas.
São um só, não porque cada um se anula a si mesmo,
nem porque se anulam uns aos outros,
mas porque, na alegria e confiança da relação,
aprenderam a ser grandes na doação de si mesmos
e a amarem-se sem medo eternamente.


É este caminho que Jesus roga ao Pai por nós,
que aprendamos a viver em relação de doação mútua,
sem medo do amor, na troca, ser dor ou traição,
mesmo sabendo que o pecado é companheiro de relação.
Quem vive na defesa, acaba preso na própria prisão
destruindo à sua volta tudo o que é vida,
gemendo a vitória da solidão.


Viver em doação na relação
é aprender com Jesus a sair do seu castelo de medo
e a ser semeador de amor, curando ressentimentos,
e distribuindo anticorpos de alegria e perdão.
É acreditar e construir,
um mundo novo de união na relação.


Senhor Jesus envia-nos o Teu Espírito,
especialista em criar união nas relações,
e faz-nos saborear a alegria de estarmos juntos
e de construirmos comunhão libertadora.

segunda-feira, maio 21, 2012

 
No mundo, tereis tribulações; mas, tende confiança: Eu já venci o mundo! (cf. Jo 16,29-33)

Se optamos por viver como toda a gente,
não há problemas, somos gente de confiança.
Se optamos por viver como Jesus
e vivemos em coerência com a justiça,
colocamos o ser humano e a sua dignidade em primeiro lugar,
então começamos a incomodar
e a ser vistos como complicados e perigosos.
É por isso, que o século XX foi o século dos mártires!
Tribulações, críticas, perseguições são,
na maioria dos casos, sinal de profecia e fidelidade.


Senhor Jesus ajuda-nos a não desistir nas tribulações,
a não ter medo de sermos diferentes,
a confiar em Ti que venceste o mundo
quando o mundo pensou que Te tinha vencido!



domingo, maio 20, 2012

 

Domingo da Ascenção do Senhor

Então, o Senhor Jesus, depois de lhes ter falado, foi arrebatado ao Céu e sentou-se à direita de Deus. (cf. Mc 16,14-20)

Jesus veio de Deus para viver como homem,
voltou ao Pai para o homem viver em Deus.
Agora sabemos, que seguindo o caminho de Jesus
e se nos deixarmos conduzir pelo seu Espírito,
a nossa vida se torna anúncio da esperança
e o nosso agir e a nossa meta é o Céu do Amor.
Porque Jesus subiu ao Céu como Senhor,
deixou de estar limitado pelo tempo e pelo espaço
e passou a estar connosco em todo o tempo e lugar.
Deixou de ser da Palestina e passou a ser de todos.


Hoje é o tempo da salvação e da Missão,
do chamamento a continuarmos a evangelizar
pelo testemunho e pela palavra,
pelos meios de comunicação social e pelo silêncio,
pela contemplação e pela acção.


Senhor Jesus, porta do Céu e caminho da Vida
ajuda-nos a seguir-Te no compromisso 
de cuidarmos da Vida de todos e de toda a Vida
e pela palavra e pelo silêncio 
sermos comunicadores da Tua Boa Nova de salvação.

sábado, maio 19, 2012

 

PODER COMUNICATIVO DO SILÊNCIO


O Silêncio é uma arte,
Que permite, em qualquer parte,
Encontrar paz e harmonia,
Contemplar e meditar,
De modo a saber cantar
A mais bela melodia
Que dá sentido e encanto
À vida do dia-a-dia.

É a arte de mergulhar,
No mais profundo do ser,
Para melhor perscrutar
O que Deus nos quer dizer,
Num encontro que é vital,
Para bem me conhecer
E, ao divino, ascender.

O silêncio é milagroso,
Com poder misterioso,
Convidando a contemplar
E a descobrir a raíz
Das maravilhas criadas
E, em toda a parte, deixadas
Pelo Autor da Criação
Que, em silêncio, sem palavras,
Se revela e Se diz.

Fazer silêncio, é encontrar-se,
E descobrir o melhor,
Que está na essência do ser,
Para bem comunicar,
Fazer-se, então, palavra,
Seja oral ou gestual,
No traço ou no movimento,
Ou na escolha da cor,
Que traduz um sentimento.

Silêncio, não é um vazio.
Antes, possibilidade
De mergulhar e escutar
O murmúrio sonhador,
Da água deste meu rio.

Maria Lina da Silva, fmm
Lisboa, 19.5.2012

 
É o próprio Pai que vos ama, porque vós já me tendes amor e já credes que Eu saí de Deus. (cf. Jo 16,23-28)

Na oração voltamo-nos para Deus com confiança
pois nos sabemos amados pelo Pai que nos enviou o Seu Filho,
por Jesus que deu a vida pela nossa salvação,
pelo Espírito Santo que ilumina o caminho da santidade
e nos faz entrar na comunhão de Amor do Pai e do Filho.


Porque gostamos de nos agarrar a algo palpável,
concentramos a nossa confiança nesta ou aquela invocação de Deus:
"o Senhor Santo Cristo", "o Divino Espírito Santo", 
"o Sagrado Coração de Jesus", "o Senhor da Misericórdia"...
Porque precisamos de tocar e de ver,
agarramo-nos com devoção a esta ou aquela imagem,
venerada numa região ou santuário.


Jesus diz-nos que vai para o Pai
e, que quem nele confia, pode pedir em seu nome.
Mas como nas três Pessoas da Santíssima Trindade 
existe o mesmo amor por nós,
não precisamos de estratégias 
nem orações especiais para convencer Deus,
mas de abertura e do amor do Espírito Santo 
para amarmos como Deus nos ama
e queremos o que Deus quer.


Santíssima Trindade de amor
que sois comunhão virada para cada um de nós,
ajudai-nos a ser comunhão fraterna e alegre
virada totalmente para Vós e para os irmãos.

sexta-feira, maio 18, 2012

 
A mulher, quando está para dar à luz, sente tristeza, porque chegou a sua hora; mas, quando deu à luz o menino, já não se lembra da sua aflição, com a alegria de ter vindo um homem ao mundo. (cf. Jo 16,20-23)

Estamos a celebrar a Semana da Vida
com o tema: "Comprometidos com a vida".
Celebramos em primeiro lugar Aquele que deu a sua vida 
para que TODOS tenhamos vida e VIDA EM ABUNDÂNCIA.


Celebramos a nossa vida como dom a frutificar e a agradecer
porque tudo em nós é graça
que nos faz sair do nosso casulo do egoísmo e do pecado.


Celebramos a vida de todos e em todas as dimensões,
porque todo o ser humano é meu irmão,
seja ele gérmen escondido no seio duma mulher,
ou frágil bebé chorando protecção ou sorrindo carinho,
deficiente ou superdotado,
português ou estrangeiro, jovem ou idoso, 
são ou doente a gemer de sofrimento e de medo.
É sempre o "outro eu" que já fui ou serei
mas que devo acolher e me comprometer.


Celebramos a vida da terra e de toda a criação
comprometendo-nos com o seu futuro sustentável,
numa comunhão amorosa de criaturas e gerações.


Senhor Jesus faz nascer em nós o "homem novo"
neste tempo de crise de esperança
e faz-nos parceiros da Vida para Todos.

quinta-feira, maio 17, 2012

 
Ainda um pouco, e deixareis de me ver; e um pouco mais, e por fim me vereis. (cf. Jo 16,16-20)

O processo de ver Jesus é uma dinâmica de procura.
Entrevemo-lo um pouco na fé, mas ainda pouco.
Deixamo-lo de ver, mas não totalmente.
Entristeceme-nos quando a nuvem da fé no-lo esconde
e parece que o luar dos não crentes é que reina,
mas a última palavra na história nos confirma
que há sol por detrás das nuvens escuras
e o solstício de inverno dá lugar ao vencedor do verão. 
Vivemos da esperança à procura do encontro definitivo.


Senhor Jesus mostra-nos o Teu rosto,
fortalece em nós a confiança no Teu amor
e que a Tua misericórdia não nos faça desistir no pecado,
nem a Tua revelação nos faça parar na procura.

quarta-feira, maio 16, 2012

 
Tenho ainda muitas coisas a dizer-vos, mas não sois capazes de as compreender por agora. (cf. Jo 16,12-15)

A fé em Jesus é um dom do Espírito Santo.
Sem o Espírito da Verdade não compreendemos Jesus.


Vemo-lo como um homem histórico do passado,
mas não O acolhemos como Salvador HOJE.
Vemo-Lo como pessoa extraordinária,
mas não acreditamos que nEle podemos fazer milagres.
Vemo-Lo como Filho de Deus,
mas tão longínquo que não O podemos imitar e seguir.
Vemo-Lo como mais um "santinho entre os santos",
mas não como o "Filho do Altíssimo" que venceu o mundo.


Senhor Jesus, eu creio em Vós,
mas aumentai a minha Fé com a força do Teu Espírito.
Faz da minha vida uma peregrinação da Verdade
e à luz do Teu Espírito 
faz-me caminhar na noite da minha procura.

terça-feira, maio 15, 2012

 
É melhor para vós que Eu vá, pois, se Eu não for, o Paráclito não virá a vós; mas, se Eu for, Eu vo-lo enviarei. (cf. Jo 16,5-11)

Jesus ama os seus discípulos, mas o seu amor não é possessivo.
É um amor descentrado de si, a pensar no bem dos seus discípulos.
Por isso, diz-lhes: "é melhor que eu vá, 
pois se eu não for o Paráclito não virá a vós".


É bem diferente do amor abafador e possessivo
de certos pais que não deixam os filhos crescer,
tal é a dose de protecção e proximidade.
É bem diferente do amor dos namorados e esposos
que ciumamente controlam o outro, com medo de o perder.


Jesus quer partir para enviar o Seu Espírito,
não só aqueles discípulos concretos na Palestina,
mas a todos os discípulos de todo o mundo e de todos os tempos.
Quer presentear-nos com o dom do Seu Espírito,
que consola e permanece ao nosso lado,
que acompanha e anima em todas as circunstâncias, 
que recorda e conduz segundo a Sua Palavra,
que nos faz ser outro Cristo, a partir do coração!


Obrigado Jesus por tanto amor.
Obrigado pelo Teu Espírito que nos envias permanentemente.
Alarga o espaço do nosso coração e purifica-o 
para que possamos ser digna morada do Teu Espírito de santidade.

segunda-feira, maio 14, 2012

 

Nossa Senhora de Fátima


Todo aquele que fizer a vontade de meu Pai que está nos Céus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe. (cf. Mt 12,46-50)

Foi uma grande peregrinação a Fátima.
Muitos chegaram a pé 
e fizeram a experiência de lutar, em grupo, por um obejtivo;
outros vieram de de avião, carro ou em excursão;
todos para ganharem forças de Deus,
convocados pelo desafio feito por Maria aos pastorinhos : 
"Quereis oferecer-vos a Deus?"

Vi gente a chorar de emoção e a rezar com muita fé,
filas de pessoas a procurar o sacramento da reconciliação,
uma multidão enorme a fazer silêncio 
e a vibrar com a escuta da Palavra de Deus,
um pentecostes de línguas e culturas
todos unidos pelo mesmo Corpo de Cristo
que em nós alimenta a sede de infinito e de esperança.

Do Céu veio o sinal da comunhão entre povos,
a alegria do encontro amoroso com a Mãe
que a todos nos adoptou e acompanha,
um tempo ameno pela noite e enevoado durante a Eucaristia
que à exposição do Santíssimo se descobriu em sol brilhante
e à procissão do adeus a Maria
renovou a mesma coroa de arco íris à volta do sol.
São sinais que interpelam à conversão,
a voltar por outro caminho!

Senhora que do Céu descestes à Cova da Iria
ensina-nos a fazer da vida uma peregrinação
cuja meta e caminho seja sempre Cristo!

domingo, maio 13, 2012

 

6º Domingo da Páscoa

É isto o que vos mando: que vos ameis uns aos outros. (Jo 15,17)


Já escutei muitos retalhos de vida,
soluçados com lágrimas sangradas de tristeza,
por relações de amor estilhaçadas e violentadas.
São casamentos desfeitos e re-tentados,
numa lotaria cega pela imaturidade do coração.
São homens e mulheres que foram pais-mães 
em famílias monoparentais 
de filhos surpresos e perdidos por uma vida madrasta.
São casais medrosos de um compromisso oficial,
pois os fracassos dos outros e, de modo especial dos pais,
os instala definitivamente na insegurança e desconfiança
de tudo e de todos, mesmo daqueles a quem amam.
Anda doente o amor em febril procura da própria felicidade!


Já celebrei vidas doadas em pedaços de eternidade.
Casais em que cada palavra, cada gesto, cada olhar
é uma confissão agradecida de amor.
Famílias em que o encontro é uma festa
e a festa é estarem juntos.
Filhos que amam os pais
e devolvem em ternura o que receberam em apoio.
É o amor sobrevivente e resistente 
na turbulência instalada do "agora a moda é assim"!


Senhor Jesus, que nos mandas AMAR uns aos outros,
liberta-nos do medo e do egoísmo,
para que amemos generosamente
com um amor grande, semelhante ao Teu!
Maria, Mãe do Amor, ajuda-nos a aprender com o Teu Filho
a oferecer-nos, a Deus e aos outros, por amor.


sábado, maio 12, 2012

 

DEUS É FONTE DE AMOR


De Deus, o Amor provem!
Deus é fonte do amor,
A jorrar em abundância,
Para o justo e o pecador,
O idoso e a criança.

Seu amor circula sempre,
No desejo de Se dar
E ajudar a respirar
Este mundo sufocado,
Por recusar ser amado,
Apesar da fome que sente
De amor puro e permanente.

Já São Francisco exclamava
E, chorando, lamentava:
O AMOR NÃO É AMADO!

Quem fome de amor, não tem?
Porque, então, não acolher
O grande amor de Deus,
Se Ele nos amou primeiro,
Com amor puro e verdadeiro,
Revelado ao mundo inteiro
Na pessoa de Jesus,
Que, por tanto nos amar,
Morreu, por nós, numa cruz?!

Mas, o amor é relação
De amizade e confiança,
Fidelidade em acção,
Como quem respira vida
Por um mesmo e só pulmão
E, pela seiva existente,
No sarmento e na videira,
Produz bons frutos de paz
E alegria verdadeira.

Amemo-nos uns aos outros,
No amor que de Deus vem,
Fiéis à sua Palavra
E aos seus preceitos de amor,
Para todos expressarmos
Gestos de paz e de bem,
Transformando cada espinho,
No melhor que um jardim tem:
A BELEZA DE UMA FLOR!...
Maria Lina da Silva, fmm – Lisboa,12.5.2012

 
Se viésseis do mundo, o mundo amaria o que é seu; (cf. Jo 15,18-21)


No nosso jardim há um carvalho que cada ano nos surpreende.
A sua firmeza em marcar a diferença me encanta e desafia.

Agora, que todo o jardim se pinta de verde primaveril,
ele resolve começar a despir-se em castanho outonal,
como que a dizer: tudo é passageiro, nada é absoluto,
não temos aqui morada permanente.
No outono, quando o jardim amareleja e se despe das suas folhas,
ele teima em verdejar de primavera como que a dizer:
há vida para além da morte,
há esperança, mesmo quando tudo parece em crise,
há forças que se escondem na fragilidade,
não temam!

É verdadeiramente uma parábola viva da missão do cristão:
tem as raízes no jardim do mundo,
mas a copa altaneira aponta para outros horizontes;
é irmão na natureza, mas vive em contra-corrente profética;
é sinal de outra dimensão da vida
quando a maioria balouça entre o entusiasmo e a depressão;
fala com o testemunho de vida
e marca a diferença com determinação,
não se envergonhando de ser diferente.

Será que Deus o colocou no nosso jardim
para nos interpelar a sermos missionários consagrados
que marcam a diferença perante o mundo,
como sinais da esperança e do Reino de Deus?

sexta-feira, maio 11, 2012

 

VALOR CENTRAL DA VIDA


Na roda do corre-corre,
Querendo tudo agarrar,
Porque, depressa, se morre,
Por acaso já pensaste
Que, entre tudo o que fazes,
É muito mais importante,
Tua vida a cada instante?!

Já paraste a olhar a vida,
Da forma mais positiva:
O que aprendeste e fizeste,
Em que erraste e acertaste,
Na alma com que serviste,
Amaste e trabalhaste
E também a Deus louvaste?

Não desistas de sonhar
E, nas asas da esperança,
Com teu olhar de criança,
Abraça as coisas belas,
Passeia entre as estrelas,
Bem acima das barreiras
Que te impedem optar
Pela paz e pelo bem,
E apoia-te, confiante,
Na graça que Deus oferece,
A cada hora e instante,
Mesmo a quem nada merece.

Todo aquele que é de Deus,
Ouve sempre a sua voz.
Ele é um Deus presente
Na vida de todos nós.

Maria Lina da Silva, fmm
Lisboa,10.5.2012

 
É este o meu mandamento: que vos ameis uns aos outros como Eu vos amei. (cf. Jo 15,12-17)

Jesus manda-nos amar como Ele,
a alargar o coração a todos e em todas dimensões,
sem limites de dedicação nem preço de doação.
Amar perdoando, servir gratuitamente,
dando a vida, salvando!
Continuamos na mesma dinâmica 
do "assim como Eu... também vós"!
Mas Jesus pede-nos 
que o façamos com a dignidade de amigos e discípulos
e não com a revolta e má vontade forçada dos servos.


Senhor ajuda-nos a pulsar amor:
a amar quando rezo,
a amar nas relações familiares e sociais,
a amar quando trabalho,
a amar quando pratico a caridade,
a amar sempre como Tu!

quinta-feira, maio 10, 2012

 
Manifestei-vos estas coisas, para que esteja em vós a minha alegria, e a vossa alegria seja completa. (cf. Jo 15,9-11)

Jesus quer introduzir-nos na sua corrente de amor,
para que a nossa alegria seja a Sua e seja completa.
"Assim como" o Pai ama Jesus, "assim" Jesus nos ama a nós.
"Assim como" Jesus permanece no Pai,
"assim nós" devemos permanecer em Jesus,
cumprindo os Seus mandamentos.
O resultado desta comunhão divina é a alegria cristã,
cheia de paz e de esperança,
perfumada de amor e de compaixão,
auto-sustentada e livre dos impulsos externos.


Senhor Jesus permanece a nós, alegria verdadeira,
faz-nos testemunhas felizes nesta peregrinação da Fé,
para que a nossa alegria fermente 
o mundo que anda cansado e sem esperança
à procura dum salvador numa manhã de nevoeiro.

quarta-feira, maio 09, 2012

 
Nisto se manifesta a glória do meu Pai: em que deis muito fruto e vos comporteis como meus discípulos. (cf. Jo 15,1-8)

Deus quis manifestar a Sua glória 
por meio de instrumentos frágeis e limitados:
a natureza com a sua harmonia e beleza,
a Sua Igreja, como comunidade de peregrinos da santidade,
cada batizado, que com a sua forma de viver,
deve manifestar que é seu discípulo: 
na assembleia em oração ou celebração sacramental,
no local de trabalho ou na família,
no clube de diversão ou no privado da solidão,
na sua terra natal ou fora dela...


A revelação da glória de Deus fica assim 
tremendamente dependente de nós!
Que responsabilidade a nossa e que confiança a de Jesus!
Isto significa que a evangelização, como anúncio de Jesus,
é mais vida do que palavras, 
mais opções e valores do que ritos e gestos esporádicos.
Só "permanecendo em Cristo" podemos "ser Cristo"!


Senhor Jesus, seiva de vida divina, 
que alimentas em nós o "homem novo",
ajuda-nos a permanecer em Ti cada segundo da nossa vida
e a ser transparência fiel do Teu amor,´
mesmo no hora da tribulação e da tentação.

terça-feira, maio 08, 2012

 
Não se perturbe o vosso coração nem se acobarde. (cf. Jo 14,27-31)

A Fé em Jesus é uma peregrinação durante a noite.
Sabemos onde fica o Santuário, mas ainda não vemos a torre.
Temos muitas estradas melhores e mais atraentes,
mas devemos seguir o Caminho certo que nos leva à meta.
Às vezes somos assaltados pelo medo ou pelo desânimo,
mas Deus coloca companheiros de caminhada ao nosso lado,
que nos animam e ajudam, que esperam por nós e nos amparam. 
Outras vezes somos nós que fazemos a experiência de ser anjos
e esquecemos as nossas dores para pensar nos outros,
renunciamos ao nosso ritmo para andarmos lado a lado,
e mesmo sem falar, dizermos: a paz esteja convosco,
aconteça o que acontecer eu estou contigo!


Senhor Jesus obrigado por nos teres feito peregrinos do Céu,
e seres a nossa paz, quando somos tentados a desistir,
ajuda-nos a viver na alegria e na ousadia de Te seguirmos,
mesmo que seja de noite!

segunda-feira, maio 07, 2012

 
«Quem recebe os meus mandamentos e os observa esse é que Me tem amor; e quem Me tiver amor será amado por meu Pai, e Eu o amarei e hei-de manifestar-Me a ele.» (cf. Jo 14,21-26)

A Fé nasce de um enamoramento com Jesus.
É o amor e a confiança nEle 
que nos faz viver unidos a Ele 
e a deixar que Ele se manifeste em nós.
É deste amor que nos fala, quando nos diz:
"Vinde benditos do meu Pai,
porque tive fome e deste-me de comer,
tive sede e deste de beber..."
A catequese deveria ser a aprendizagem
duma vida com coração
que saiba amar e acolher a todos como irmãos.


Senhor Jesus eu vos amo e em Vós me uno, 
mas aumentai a minha capacidade de amar e de entrega,
nesta peregrinação a caminho do Santuário que já nos habita.

This page is powered by Blogger. Isn't yours?