terça-feira, agosto 30, 2016

 

3ª feira da 22ª semana do Tempo Comum


Ah! Que tens que ver connosco, Jesus de Nazaré? (cf. Lc 4,31-37)

Jesus desce de Nazaré à Cafarnaum do nosso quotidiano.
A sua palavra incomoda os possuídos pelo demónio,
mesmo que frequentem a sinagoga e professem a fé!
A presença e a palavra de Jesus revelam o mal escondido,
sob a aparência do praticante e da retórica religiosa!
O Demónio também tenta o que vai à Igreja e reza,
distraindo-o do essencial e da luz da verdade,
cultivando a mentira e a incoerência,
branqueando o pecado e abusando da misericórdia!
É preciso coragem para acolher a Palavra de Jesus
e dizer um não total à voz melodiosa que nos engana!

O egoísmo não gosta que Jesus interfira na nossa vida,
por isso, afasta-se Dele quando peca e teima no mal,
combate-O, chamando-lhe controlador e desmancha-prazeres,
acusa-O de antiquado e coisa de crianças e idosas!
Talvez por isso, na idade da adolescência se afastem de Cristo,
na idade da afirmação profissional cortem com a Igreja,
nas situações de pecado tenham medo da luz de Cristo!
E a pergunta é a mesma: “que tens a ver connosco Jesus?
Deixa-nos em paz, não perturbes a nossa consciência”
O mesmo pode acontecer aos que vão à Igreja
com o propósito de praticar, mas não se converterem!

Senhor Jesus, luz que queima o verniz da mentira,
eis-nos aqui sujos por dentro e vestidos de anjinho,
cura-nos, purifica-nos e liberta-nos de todo o mal!
Ilumina-nos com o teu Espírito para, como a Samaritana,
possamos ficar alegres por nos ajudares a ver a nossa vida,
as nossas infidelidades e incoerências,
entre o que parecemos e dizemos e o que somos de verdade!
Recria-nos com o abraço da tua misericórdia

e desperta-nos para a verdade do teu seguimento!

segunda-feira, agosto 29, 2016

 

Martírio de S. João Batista


Entretanto, chegou um dia oportuno. (cf. Mc 6,17-29)

Deus esperou pacientemente o dia oportuno de enviar seu Filho,
após ter enviado muitos profetas a restabelecer a aliança.
Esperou o Sim de João para ser o precursor e preparar a vinda.
Esperou o Sim de Maria e de José para tomar a nossa carne.
Esperou a Hora de Jesus para renovar a nova aliança na cruz.
João Batista também teve o seu tempo oportuno
de dar testemunho da verdade e de dar a vida por ela:
a celebração da vida de Herodes serviu um banquete de morte!
Há momentos que se tornam reveladores dos frutos que damos!

A vida vai amadurecendo e chega sempre o dia oportuno!
Há um tempo oportuno para dizer sim e dizer não,
para anunciar e para denunciar, para dar e para receber,
para elogiar e para corrigir, para animar e para refrear,
para falar e para silenciar, para trabalhar e para descansar,
para ligar e para desligar, para sonhar e para concretizar,
para meditar e para celebrar, para o jejum e para a festa...
O importante é que o tempo oportuno revele: vida,
liberdade, fidelidade, verdade, abertura à conversão!
Se assim não for, corremos o risco de “o tempo oportuno”
nos entregar a cabeça do irmão a sangrar num prato!
E a cabeça de João, hoje chama-se aborto, divórcio,
adolescentes deambulando drogados durante a noite,
sistemas injustos, guerras absurdas, meninos soldado,
tráfico de droga e de pessoas, escravatura camuflada...

Senhor, que fazes do tempo uma história de salvação,
ensina-nos a fazer da liberdade uma opção pela vida,
um semear de valores que permanecem,
um aprender a caminhar na verdade e na caridade!
Cristo, que resististe à tentação de fugir à tua Hora,
envia-nos o teu Espírito e ilumina o nosso caminho,
para que não vamos pela porta do mais fácil,
mas do melhor, para darmos frutos de paz e felicidade!
S. João Batista, ensina-nos a ser profetas nos dias hoje,

para que não tenhamos medo de andar em contracorrente da moda!

domingo, agosto 28, 2016

 

PROPOSTA DE HARMONIA RELACIONAL



Jesus, Príncipe da Paz,
Bom Mestre e Pedagogo,
De todos nós, o Seu Povo
Propõe-nos o meio eficaz,
Para repor a harmonia,
Pessoal e relacional,
Na vida do dia-a-dia,
Contrário à busca frenética
E até da luta sem ética,
Dos que tentam ocupar,
Em tudo, o primeiro lugar,
Na sociedade actual,
Como uma oportunidade
De surgir como o maior,
Na lógica promocional,
Por vaidade pessoal,
Porém, não como o melhor,
Pronto a tudo partilhar,
Em gratuidade total.

Para antídoto da vaidade,
Jesus, propõe a humildade,
Gratuidade e verdade,
Para a exemplo do Senhor,
Contribuir, por amor
E total disponibilidade,
Para que a justiça cresça,
A caridade floresça
E a humana fraternidade,
Na paz inclusiva, aconteça,
Sem outra qualquer recompensa,
Que sentar-se, à mesma mesa,
Partilhando o Pão da harmonia
E o Vinho da alegria,
Onde os pobres e aleijados,
Coxos e cegos, os convidados,
Como os bem-aventurados,
Por Cristo Jesus, resgatados,
Salvos e abençoados.

A EXEMPLO DO SENHOR,
DEUS DE INFINITO AMOR,
ANIMEMOS OS DESPREZADOS
E REABILITEMOS OS DESAMPARADOS! 

Maria Lina da Silva, fmm

Lisboa, 28.08.2016

 

22ª semana do Tempo Comum – S. Agostinho


Quando fores convidado para um banquete nupcial, não tomes o primeiro lugar. (cf. Lc 14,1.7-14)

Deus convidou o seu Filho para o banquete nupcial
e Jesus ocupou a último lugar duma Nazaré desconhecida da Galileia;
ocupou o último lugar da fila dos que foram batizados pelo Batista;
apresentou-se como Mestre sem ter onde reclinar a cabeça;
inclinou-se para lavar os pés aos discípulos
e servir-nos à mesa a misericórdia do perdão e do seu Corpo;
escondeu a glória do Tabor na ignomínia do Calvário...
E no final, quando a morte O sepultou no esquecimento,
o Pai chamou-O à vida e deu-lhe o primeiro lugar, à sua direita!
O segredo da nossa felicidade é colocar Jesus em primeiro lugar!

Há em todos nós um desvario em ser grande e famoso,
de ocupar o primeiro lugar e ser o mais importante.
Muitas vezes andamos em bicos de pés e de megafone aos gritos
para repetirmos aos outros: eu estou aqui, eu sou o maior!
Tomamos esta mesma atitude também perante Deus:
na oração, na meditação, na celebração litúrgica,
no exercício da caridade, no anúncio do Evangelho...
Que lugar Jesus ocupa na celebração do seu Natal?
Que lugar deixamos na festa do padroeiro para o Santo?
Que lugar ocupa Cristo na vida do cristão?
Não será este o nosso problema na relação com Deus e os outros:
querermos ocupar o primeiro lugar, julgar-nos mais importantes?

Senhor, como sois tão grande na fraqueza do amor libertador,
ensina-nos a ser o maior na capacidade de amar e servir!
Cristo, que nos conheces intimamente
e não expões a verdade da nossa mentira,
ensina-nos a humildade que nos descansa na verdade
e na certeza de sermos amados eternamente!
Envia-nos o teu Espírito de luz e dá-nos o sentido do prioritário,
para que na oração, na Igreja e na sociedade,
não busquemos o primeiro lugar, mas dar visibilidade aos invisíveis,
e direitos de cidadania à fraternidade!

S. Agostinho, rogai por nós e ensinai-nos a sabedoria da humildade!

sábado, agosto 27, 2016

 

Sábado da 21ª semana do Tempo Comum – S. Mónica


Um homem, ao partir de viagem, chamou os seus servos e confiou-lhes os seus bens. (cf. Mt 25,14-30)

A criação da humanidade coroa a obra criada
e Deus delega no ser humano o cuidar da sua obra de arte!
A sabedoria, a liberdade e o amor são dons de Deus
para ajudarem o ser humano a administrar os bens da natureza!
Somos puro dom que devemos fazer da vida um dom
que fecunda, multiplica, delega, confia, ousa arriscar.
Jesus é o protótipo do Servo bom e fiel
que acolhe a missão de salvar a todos sem exceção
e por nós oferece a sua vida até a última gota de sangue!
Jesus parte para o Pai e envia-nos o seu Espírito
para que continuemos a sua missão de salvar o mundo!
Enterrar os dons, esconder a lâmpada da fé, viver para si mesmo,
é tornar-se num servo mau e preguiçoso, num servo inútil!

Esta vida é um estágio para aprender a ser servo bom e fiel
e preparar-se para participar na alegria do Senhor!
Tanta gente que tem pernas e não anda, mãos e não trabalha,
inteligência e não pensa, coração e não ama, boca e não fala,
ouvidos e não ouve, sentimentos e não sente!
Tanta gente que recebe o dom da fé e não a vive nem a anuncia!
Tanta gente que pode ter acesso à misericórdia e não a aproveita!
Tanta gente que ainda não descobriu a alegria de dar e de dar-se,
na consagração, no matrimónio, no voluntariado, na evangelização...
Fomos feitos para ser dom que cuida e fecunda a vida,
e deixámo-nos adoecer de ambição e de comodismo
até ao ponto de sofrermos de obesidade e de prisão de ventre!

Senhor Jesus, Servo bom e fiel, de quem o Pai pode dizer:
“Este é o meu Filho querido, escutai-O e segui-O!”.
Envia-nos o teu Espírito e ajuda-nos a fazer da nossa vida
uma ousadia permanente de ser uma bênção para todos!
Ensina-nos a ter a fé, a intercessão e as lágrimas de S. Mónica,
preocupadas com o bem dos que andam perdidos, à volta de si mesmos!
Que cada manhã eu desperte para o entusiasmo de ser dom
e cada noite me interrogue: a quem servi, que alegrias dei,
a minha vida foi útil para alguém, que dons fiz render?

S. Mónica, roga e chora por estes teus filhos tímidos e ociosos!

sexta-feira, agosto 26, 2016

 

6ª feira da 21ª semana do Tempo Comum


Foram ao encontro do esposo. (cf. Mt 25,1-13)

Deus quer fazer connosco uma aliança íntima,
não apenas um contrato político de boa convivência!
É uma aliança tão íntima e profunda como a matrimonial,
em que cada um sai de si mesmo para se unir ao outro
e formar uma só carne, uma família nova e fecunda!
Jesus é o Filho de Deus, o Noivo enamorado
que quer ser Esposo da humanidade que encontra decaída!
Ele a liberta da sua imundice, a veste de santidade,
a ensina a andar com o equilíbrio da justiça e do amor,
a fortalece com o Pão da vida e da esperança
e a reveste com a veste da salvação e o Espírito da paz!

Com o Batismo começa o noivado com Jesus!
A vida começa a ser formada de encontros de namoro,
de conhecimento mútuo e de comunhão íntima,
em que cada de um de nós vai aprendendo
como fazer feliz o Amado e estreitar a união!
Viver setenta a oitenta anos não é muito,
mas muitos perdem-se pelo caminho a dormitar,
a namorar com outros amores, distraídos consigo mesmos!
E este Noivo prima por uma presença invisível e livre,
sem olhares de controle temeroso nem castigos de vingança,
que, se não se está vigilante, até parece ausente!
A sabedoria de viver está na arte em preparar o encontro!

Deus da Aliança, Amor eternamente surpreendente,
que nos buscas e nos queres conquistar o coração,
louvado sejas por nos amares assim tão gratuitamente!
Cristo, Esposo que não merecemos e que por nós dás a vida,
purifica-nos dos nossos adultérios e narcisismos!
Envia-nos o teu Espírito e renova o nosso coração,
para que Te amemos e Te anunciemos cada segundo,
e, assim vigilantes, preparemos o encontro definitivo!
Liberta-nos das distrações e desculpas para a oração,
a meditação, o exame de consciência, a Eucaristia,

o perdão, a caridade, a justiça e a evangelização!

quinta-feira, agosto 25, 2016

 

5ª feira da 21ª semana do Tempo Comum


Estaria vigilante e não deixaria arrombar a sua casa. (cf. Mt 24,42-51)

Jesus vem do Céu com a missão de renovar a aliança
e curar o coração dos que adoeceram de idolatria e de egoísmo!
Jesus vive em sentinela, atento às tentações vestidas de luz,
que estão sempre prontas a assaltar a casa e corromper a missão!
Nasce numa família, a quem ama, sem se fechar nela;
passa pela adolescência e juventude, casto por causa do Reino;
aprende uma profissão sem se escravizar à ambição;
prepara-se para a missão evangelizadora com um retiro no deserto;
cada dia faz a sua oração e afere com o Pai a sua vontade;
quando o sucesso é grande ou se aproxima a paixão,
redobra a vigilância e clarifica a sua missão e identidade!
Por isso, nem Pedro, nem Judas, nem os que o matam,
arrombam a sua casa de paz, de amor e de misericórdia!

Hoje facilitam-se demasiado as situações de perigo
e depois surpreendemo-nos com as consequências:
facilitam-se as saídas noturnas de adolescentes;
permitem-se festas em discotecas de música, álcool e sexo livre;
facilita-se o acesso livre e solitário da internet
que permite navegar por zonas obscuras
que podem levar ao crime, ao adultério, ao jogo ou à dependência;
facilitam-se hábitos de trabalho, comida e lazer
que adoecem o corpo e esquecem a relação de bem-querer!
Como as pessoas não estão vigilantes nem param para discernir,
pouco a pouco vão sendo arrombados na sua castidade,
na sua liberdade, na sua identidade, na sua paz e na sua missão!
Quando nos damos conta já estamos apanhados e roubados,
muitas vezes sem possibilidade de retorno e recuperação!

Senhor Jesus, que encarnaste a vigilância saudável,,
ensina-nos a viver despertos e atentos,
a sermos em todas as situações bons filhos de Deus
e imitadores da tua liberdade!
Envia-nos o teu Espírito de discernimento e dá-nos boas rotinas,
do exame diário da nossa consciência, da oração e meditação,
da aprendizagem com os nossos erros, da ascese de situações de perigo,
de reparar o mal feito por meio do pedido de desculpas e do perdão!
Ajuda-nos a ser livres para dizer sim ou não na hora certa,
sem nos tornarmos ovelha desorientada no meio da maioria!

Liberta-nos da ingenuidade sem critérios nem valores!

quarta-feira, agosto 24, 2016

 

S. Bartolomeu, Apóstolo


Antes que Filipe te chamasse, Eu vi-te! (cf. Jo 1,45-51)

Deus viu-nos antes que o tempo nos desse à luz!
Deus viu-nos e sonhou-nos antes que o sonho nos embalasse!
Deus viu-nos escondidos do medo desejoso de nos servir a paz!
Deus viu-nos ressentidos de rancor e propôs-nos a misericórdia!
Deus viu-nos debaixo da figueira à busca do Messias
e veio ao nosso encontro com túnica de Nazareno!
Antes de um Filipe qualquer nos ter chamado à catequese,
à oração, ao seguimento numa vocação concreta,
já Jesus nos tinha visto, amado, vindo ao nosso encontro e escolhido!
Deus viu-nos quando fingimos segui-Lo e O traímos,
mas Ele continuou a amar-nos e por nós esperou!

Cultiva-se a arte de fingimento como forma de vida,
como meio de sobrevivência nesta selva em concorrência!
Falsifica-se a marca para se fingir o que não é!
Falsifica-se o aparelho de medida para parecer um carro ecológico!
Fazem-se autoelogios no curriculum vitae para fingir-se ideal!
Finge-se amar com o coração dividido e aborrecido!
Finge-se ser sério e cumpridor escondendo a corrução!
Finge-se na justiça, na política, na família, na internet, na Igreja...!
Mas há Alguém que nos vê, não como um mirone ou fiscal,
mas como uma amigo que sofre connosco e nos quer curar!

Louvado sejas, Olhar que nos agracias desde toda a eternidade
e nos envolves com o teu amor misericordioso e fiel!
Louvado sejas por Cristo que nos vê antes de O vermos
e nos ensina a viver sem fingimento, com a humildade da verdade!
Liberta-nos da mentira de vida, que para fora é uma coisa
e por dentro é outra, como quem esconde a podridão com perfume!
S. Bartolomeu, que aceitaste sair da sombra da figueira
para partir como apóstolo a anunciar o Evangelho, até ao martírio,

intercede por nós e ensina-nos a sair do nosso comodismo e mentira!

This page is powered by Blogger. Isn't yours?