terça-feira, novembro 21, 2017

 

3ª feira da 33ª semana do Tempo Comum – Apresentação de Maria


Um exemplo de coragem e um memorial de virtude. (cf. 2 Mac 6,18-31)

Deus é Palavra de misericórdia que caminha,
como pastor de ovelhas perdidas e curiosas de sentido.
Não se fixa nas aparências mas na alegria e coerência escondida.
À vida fingida e dissimulada, vê-a como um engano de perdição,
pois separa a palavra e o rito da vida e do coração.
Maria consagra-se totalmente ao Senhor, desde a sua infância,
Eleasar sabe resistir à tentação da dissimulação para salvar a sua vida,
Jesus é a vida divina em nós, onde a vida é palavra e a palavra é vida!

A educação faz-se mais pelo exemplo do que pela exortação.
A atitude iluminada pela palavra, na hora certa,
tem o peso da autenticidade dum coração que se revela.
Por outro lado, o lindo discurso numa vida dupla,
ou o rigoroso ritual numa vida desonesta e egoísta,
descreem o conselho e afastam do Deus da Vida.
A coerência e a humildade fazem mais pela evangelização,
do que grandes eventos teatralizados e sem verdade.


Senhor, obrigado porque queres ficar na nossa casa
e hospedar-Te em nossos corações pecadores,
como salvação misericordiosa que nos purifica!
Alimenta-nos com a tua Palavra e com o teu Corpo,
para que assimilemos a tua Vida e nos tornemos teu mensageiro.
Que o teu Espírito nos liberte da tentação da mentira
e nos dê a alegria da verdade e da fidelidade.
Santíssima Virgem da Apresentação,
ensina-nos a sermos fieis à nossa consagração batismal.

segunda-feira, novembro 20, 2017

 

2ª feira da 33ª semana do Tempo Comum


Muitos permaneceram firmes e irredutíveis no seu propósito de não comerem alimentos impuros. (cf. 1 Mac 1, 10-15.41-43.54-57.62-64)

Deus passa pelos caminhos da nossa vida para nos curar a cegueira.
Às vezes não vemos mais que um palmo à frente dos olhos
e o nosso programa de vida não vai além do rebanho que nos arrasta.
Perante a multiplicidade de alimentos e propostas que se apresentam,
deixamo-nos levar pela maioria, pela pressão social,
pela cobiça do enfeite, pela orgia do novo, pela tentação da experiência.
Jesus e o seu Espírito re-apresentam-nos a Aliança da misericórdia,
com as chagas da fidelidade e sem a maquilhagem da ilusão.
A pureza da fé cristã alimenta-se do Evangelho de Cristo!

O apelo do marketing a comer e a experimentar,
tem na ponta um anzol que apanha o curioso pela boca.
A dependência começa por uma pequena experiência:
tabaco, drogas, jogo, consumismo, pornografia...
O mercado chama-lhe fidelização, a ciência dependência.
Este comportamento dependente afeta mais o próprio,
mas há outras opções de vida que afetam terceiros 
e se aproveitam da sua fragilidade,
legalizando o aborto, a eutanásia, a injustiça, a xenofobia...

Senhor, Luz que caminha connosco sem ofuscar nem obrigar,
cura a nossa cegueira e ensina-nos o bem e a liberdade.
Cristo, Deus-connosco sem deixar de ser Deus-Santo,
envia-nos o teu Espírito e conduz a nossa vida na terra, 
com o discernimento do que nos faz bem e nos faz mal!
Liberta-nos do afã de experimentar tudo e de ser igual a todos
e clarifica-nos o sentido da ascese do que nos escraviza!
Alimenta-nos com a tua Palavra e com o teu Pão Eucarístico!


domingo, novembro 19, 2017

 

33º Domingo do Tempo Comum – Dia dos Seminários e Dia Mundial do Pobre


Põe mãos ao trabalho alegremente. (cf. Prov 31,10-13.19-20.30-31)

Deus age por amor e salva com alegria.
Perante a noite da criação, Deus brilha como Sol de justiça,
envia o seu Espírito de profecia e a sua Palavra encarnada
para libertar os que esperam a salvação
e despertar os que andam adormecidos na perdição!
Cada um de nós é vocação,
chamamento a pôr a render os nossos dons,
com audácia, zelo e fidelidade!
A Igreja é esta mulher virtuosa, que ama o seu Esposo
e distribui com largueza pelos pobres,
educando para a liberdade, para o amor e para o louvor.

A vida é uma janela de oportunidades, uma aventura!
Há os que olham o mundo com o coração,
veem o que podem fazer e colocam mãos à obra.
Não se sentem salvadores, mas responsáveis,
pois sabem que devem fazer a sua parte com alegria e esperança.
Há outros, cheios de dons e qualidades,
que por comodismo e medo, vivem a vida como espetadores,
comentando e julgando, exigindo como parasitas.
Há outros ainda, que gostariam de dar a sua contribuição,
mas não têm oportunidade de conseguir emprego,
de estudar, de ter acesso à paz e à justiça, de ter um salário justo.

Senhor, Fonte de salvação e chamamento à colaboração,
ajuda-nos a responder à nossa vocação,
com alegria, sentido de Igreja e amor libertador.
Cristo, que vieste para fazer a vontade do Pai,
dá aos que chamaste a serem sacerdotes na tua Igreja,
um coração de pastor, a ternura de uma mãe,
o zelo de um atleta, a alegria de um coração disponível.
Espírito Santo, dom generoso e gratuito que gera fraternidade,
faz-nos sensíveis aos pobres e ajuda-nos a criar-lhes oportunidades
de também eles poderem colaborar na construção do teu Reino
e sentirem a dignidade de serem Filhos de Deus!

sábado, novembro 18, 2017

 

Sábado da 32ª semana do Tempo Comum – Dedicação das Basílicas de S. Pedro e de S. Paulo


A vossa palavra omnipotente, Senhor, tocava o céu e caminhava sobre a terra. (Cf. Sab 18,14-16; 19,6-9)

A Palavra de Deus é criadora, escuta e liberta,
faz-se aliança e profecia, toca o Céu na oração
e caminha na terra, encarnada em Jesus Cristo,
sempre animada pelo mesmo Espírito de caridade!
A vida de fé torna-se assim uma criação contínua,
uma Páscoa misteriosa, uma comunhão orante permanente,
uma esperança audaz, uma fraternidade profética.
Que aventura caminhar na Terra com o coração em Deus!

Às vezes parece que andamos divididos entre o Céu e a Terra,
entre a oração e o trabalho, o profano e o sagrado,
a teoria e a prática, a ética e o interesse próprio,
o individual e o comunitário, a família e a Igreja!
E conjugamos a vida como fragmentos, 
sem ponta por onde lhe pegar nem fio para os enlaçar! 
Falta-nos o segredo de Jesus e dos santos,
que caminham na Terra, animados pela luz e o amor do Céu!

Senhor, Palavra que cria e salva e ouvido que atende e perdoa,
aumenta a nossa fé e fome de Te escutar, louvar e amar!
Cristo, Palavra de Deus, que desce à Terra e permaneces connosco,
liberta-nos das palavras ocas e dos fragmentos de vida sem nexo,
para que sejamos comunhão e esperança no amor!
Espírito Santo, reza em nós e ama em nós,
para que o profano seja sagrado, a família Igreja,
a pessoa relação, a fragilidade diálogo e perdão,
a história uma Páscoa de salvação!
S. Pedro e S. Paulo, ensinai-nos a ser discípulos e apóstolos de Cristo!

sexta-feira, novembro 17, 2017

 

6ª feira da 32ª semana do Tempo Comum – S. Isabel da Hungria


A grandeza e a beleza das criaturas, conduzem, por analogia, à contemplação do seu Autor. (cf. Sab 13,1-9)

Tudo o que vive e existe é obra de Deus.
Em cada criatura está a marca e assinatura do seu amor,
belo e omnipotente, diverso e harmonioso, terno e livre!
A criação é, ao olhar contemplativo, um livro de Deus!
Saber deter-se e saborear um nascer ou por do sol,
o mistério e a imensidão dos astros e estrelas,
a cor e a musicalidade dum bando de passarinhos,
o perfume e a beleza das flores,
o sabor e atração de uma fruta madura na árvore,
o sorriso desgarrado e gratuito de uma criança...
é extasiar-se e deixar brotar um hino de gratidão ao Criador!

Uma vida a correr dentro de um carro ou avião,
ansioso por chegar  à meta, a ouvir a sua música;
ou uma vida fechada num escritório ou num quarto,
a ver fotos e imagens virtuais ou SMS de conversa de chacha,
impede a contemplação, a meditação, o encontro!
Viver na cidade, onde só se veem coisas transformadas, 
obra dos humanos, eclipsa a assinatura de Deus na criação.
O ateísmo e o agnosticismo floresce na cidade e na vida apressada!

Senhor, criador e gerador de tudo o que vive e respira,
louvado sejas por tanta beleza, grandeza e harmonia.
Neste mundo que persegue o sucesso e a experiência nova,
dá-nos um olhar contemplativo e sábio,
capaz de deter-se na criação para chegar e louvar o Criador.
Espírito Santo, dá-nos o dom do discernimento,
para dar-nos conta dos sinais dos tempos 
que nos despertam para a Aliança e a conversão!
S. Isabel da Hungria, esposa e mãe contemplativa,
intercede para que aprendamos a viver com a sabedoria do amor.

quinta-feira, novembro 16, 2017

 

5ª feira da 32ª semana do Tempo Comum


A sabedoria é o espelho puríssimo da atividade de Deus, imagem da sua bondade. (cf. Sab 7,22-8,1)

Deus envia-nos a sua Sabedoria para que sejamos sábios e bondosos.
Jesus é essa Sabedoria que permanece no meio do nós,
como Caminho entre muitos caminhos, disponível e sem publicidade.
O Espírito Santo é essa Sabedoria, que habita no mais profundo de nós,
atuante e sereno, como fermento de vida nova e água da vida!
Deter-se a contemplar a vida de Jesus, guiados pela sua Palavra
e iluminados pelo seu Espírito, é inscrever-se na escola da Sabedoria.
Nada disto impede o sofrimento, a perseguição e as dificuldades,
pois o Mistério Pascal é o culminar da noite do Reino de Deus!

A educação foi assumida como um direito fundamental.
Poder ir à escola, aprender a ler e escrever, conhecer a história,
apropriar-se dos conhecimentos adquiridos,
preparar para adquirir novos conhecimentos...
fazem parte desse projeto fundamental da escolarização.
Ultimamente, evita-se a filosofia, a ética e a religião,
pois ao mercado interessam pessoas consumistas,
dependentes da moda, caprichosos e acríticas.
Durante o dia anda-se numa escola e à noite noutra!
Especializa-se numa parte da realidade, mas é-se ignorante e ingénuo
na arte de amar, de ser livre, de buscar o bem comum, de refletir.

Pai, Santo e Bom, abre-nos à tua Sabedoria, escondida no tempo,
amiga e serva, misericordiosa e paciente espera de quem A procura!
Cristo, imagem perfeita da atividade de Deus,
revelação de um Deus diferente 
e Pão que nos sustenta no caminho,
assimila-nos em Ti pela escuta e contemplação.
Espírito Santo, Sabedoria da bondade divina,
ensina-nos a amar, a sermos livres profeticamente,
capazes de andar em contracorrente, com alegria e simplicidade!
S. Margarida da Escócia e S. Gerturdes, rogai por nós!

quarta-feira, novembro 15, 2017

 

4ª feira da 32ª semana do Tempo Comum – S. Alberto Magno


Do Senhor recebestes o poder; Ele examinará as vossas obras e sondará as vossas intenções. (Cf. Sab 6,1-11)

O poder é um ministério ao serviço da comunhão e da justiça.
Deus quer-nos uma sociedade organizada e amiga,
no entanto, há a tentação de aproveitar o ministério da autoridade
para servir-se daqueles a quem devem servir.
Quanto maior for a responsabilidade da pessoa, 
mais severo é o juízo de Deus para com ela.
Jesus é o Filho do Altíssimo que cura as nossas lepras do pecado 
e dá a vida pelas suas ovelhas, como Bom Pastor!

O governo democrático conquista-se com votos.
Por isso, investe-se muito na persuasão, nas promessas,
nos almoços grátis, na propaganda, no insulto do adversário
e, às vezes, até na compra de votos dos mais pobres!
A volúpia do poder sobe à cabeça e corrompe a justiça,
tornando-se autoritário ou subserviente às pressões de outros poderes.
Os governantes precisariam de estar mais atentos à ética,
aos valores da justiça, à escuta de Deus que lhes fala pelo pobre!
Quanto maior for o poder, mais parecidos com Deus temos que ser!

Senhor, o teu poder é serviço e a tua justiça é amor!
Dá-nos um coração responsável e amigo,
que saiba cuidar do mais fraco com o zelo dum pai ou mãe.
Cristo, Altíssimo e Bom Senhor, Servo que nos lavas os pés
e Médico que nos curas as lepras que marginalizam,
ensina-nos a cuidar com amor da natureza,
do irmão que encontramos pelo caminho,
do colaborador que trabalha na empresa,
do povo que colocastes sob a nossa responsabilidade,
da criança ou do jovem a quem devemos educar e formar.
S. Alberto Magno, intercede pelos nossos governantes!

This page is powered by Blogger. Isn't yours?