segunda-feira, outubro 22, 2018

 

2ª feira da 29ª semana do tempo Comum – S. João Paulo II


Restituiu-nos à vida com Cristo. (cf. Ef 2,1-10)

Cristo manifesta a riqueza da graça e misericórdia de Deus.
A nossa salvação é puro dom de Deus,
um caminho novo de viver na terra com o coração no Céu!
A avareza nega a Deus e a esperança na ressurreição!
A piedade altiva julga-se merecedora duma salvação comprada,
sem necessidade de Cristo e longe do seu caminho!
Mas de nada serve acumular para mim, se não for rico em Cristo!

A mortalidade infantil diminuiu e a esperança de vida aumentou.
O cenário da vida efémera fica assim reduzido à morte avançada
ou à morte provocada por doenças prolongadas e incuráveis.
O ritmo acelerado com que andamos, o ruído, o consumo,
e a virtualização da vida como fuga do real,
concentra-nos no presente e tira-nos o horizonte do além!
Tudo gira à volta do indivíduo, dos seus caprichos,
dos seus sonhos de realização, dos seus divertimentos…
O ter tempo para o outro, a relativização das riquezas terrenas,
a oração e a meditação, a justiça e a paz… agora não, mais tarde!

Senhor, rico em graça e misericórdia, louvado sejas por Jesus,
porta e caminho para o Céu, pela via sacra da oferta de si!
Ainda tenho muito caminho a fazer nesta aventura misteriosa,
de viver e trabalhar na terra para acumular no Céu!
Dá-nos o discernimento do teu Espírito neste peregrinar da aurora,
para que saibamos seguir-Te com humildade e fidelidade,
sem nos deixarmos amarrar nem corromper pelas riquezas da terra!
S. João Paulo II, ensina-nos a abrir as portas a Cristo!

domingo, outubro 21, 2018

 

29º Domingo do Tempo Comum - Dia Mundial das Missões (21 outubro)


Vamos, cheios de confiança ao trono da graça, a fim de alcançarmos misericórdia. (cf. Heb 4,14-16)

Deus é uma paixão de amor por nós.
E o amor é missão pro-ativa que salva: Deus faz-se homem,
o Senhor faz-se servo, a Graça faz-se misericórdia,
o sofrimento faz-se oferta, a vida torna-se redenção!
Jesus levou a nossa humanidade para o Céu
e de lá intercede e nos espera como Trono da Graça!

Às vezes a vergonha e a culpabilidade paralisam-nos!
Flagelamo-nos, como quem não gosta de si mesmo,
e azedamos as relações, pois é isso que temos!
Ajudar a carregar a cruz dos outros? Nem pensar,
pois já basta o peso de tanta culpa a expiar sozinhos!
Só Deus perdoa os pecados e nos pode salvar,
vamos, por isso, confiantes ao Trono da Graça
e alcançaremos o auxílio oportuno, a misericórdia não merecida!

Senhor, eis-me aqui, história de fragilidades e de graça!
Sei que me entendes e me amas, apesar de não ser perfeito!
Como é bom me ajudares a carregar as minhas ansiedades,
a curar as minhas feridas, a pacificar as minhas guerras! 
Cada dia me serves a tua Palavra e o alimento do teu Pão!
A eternidade é intercessão, advocacia de salvação,
justiça misericordiosa, trono de graça, Mão que eleva!
Por isso, não me faças o que desejo, mas o que necessito
e ensina-me a servir e a colaborar na tua missão redentora!

sábado, outubro 20, 2018

 

Sábado da 28ª semana do tempo Comum


O Deus de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos conceda um espírito de sabedoria. (cf. Ef 1,15-23)

O Pai da glória enviou-nos o seu Filho,
poder e salvação, Cabeça da Igreja que é o seu Corpo!
É um Corpo animado pelo seu Espírito,
que ilumina a verdade da fé e proclama a sabedoria do amor!
Somos salvos pelo amor trinitário de Deus,
num mistério de comunhão que se faz missão e paz,
num mundo indiferente e opositor!

A Igreja é chamada a ser Corpo de Cristo,
membros que agem segundo a Cabeça
e vivem a comunhão de fé e de amor no mesmo Espírito!
Por isso, uma Igreja sem oração nem escuta da Palavra,
dificilmente pode obedecer à orientação da Cabeça!
Uma Igreja que não seja missionária,
torna-se um conjunto de membros a viver para si!
Um Igreja mundana, organização religiosa de poder,
não respira o Espírito de santidade, mas o espírito do mundo!

Senhor Jesus, vejo-Te a meu lado como companheiro
e sentado à direito do Pai, como salvador e meta!
Dá-nos o teu Espírito de sabedoria e de comunhão,
para que sejamos, cada vez mais, membros vivos da Igreja,
missão arrojada e fiel, sinal credível da tua presença!
Liberta-nos do medo do poder que ruge e atemoriza!
Cura-nos da tentação de sermos mónada confortável, 
virada para si, desligada da glória de Deus e do bem dos outros!

sexta-feira, outubro 19, 2018

 

6ª feira da 28ª semana do Tempo Comum


Em Cristo fomos constituídos herdeiros, para sermos um hino de louvor da sua glória. (cf. Ef 1,11-14)

Deus contempla-nos com olhar de Pai,
com olhar providencial e misericordioso.
Em Cristo, seu Filho, predestinou-nos a ser filhos de Deus,
herdeiros da vida eterna, fortalecidos pelo seu Espírito.
A história deve ser um poema, onde cada um de nós 
é chamado a ser um hino de louvor à sua glória!
A hipocrisia e o medo são dissonâncias neste poema da fé!

O vício gera dependência, consumo compulsivo.
Para o alimentar, usa-se a mentira, o furto,
a invenção de desculpas, uma vida em penumbra!
O pecado é como o vício, gera hipocrisia e vida dupla,
onde a representação do “hino de louvor”
contrasta com a vergonha e o medo de ser conhecido!
Só o assumir da verdade e o acolher da salvação de Cristo,
pode levar à conversão e à confiança na hora da mudança!

Senhor, Rocha onde me sustento quando o vento é ciclone,
Rio onde me lavo, quando a vida é mentira,
Brisa suave onde me alento quando o cansaço me paralisa!
Sonhaste-me um hino de louvor e continuo prosaico,
com rimas dissonantes e erros de incoerência!
Ajuda-nos a ser missionários pela beleza do poema que se é,
pela audácia da fé que inspira, pela paz natural que transmite!

quinta-feira, outubro 18, 2018

 

S. Lucas, Evangelista


Mas o Senhor esteve a meu lado e deu-me força. (cf. 2 Tim 4,10-17b)

O Senhor desceu a nós como Cordeiro no meio de lobos!
Aceitou trabalhar na messe do Pai, 
desprovido de seguranças humanas,
pobre de meios e de colaboradores, 
mas rico de fé e de esperança,
a semear Evangelho, misericórdia e amor fiel!
Quem quiser seu discípulo deve viver assim,
partir em missão leve e aberto, como pedinte que se dá e recebe!
Lucas é um de muitos deste discípulos do Cordeiro,
que nos deixa um testemunho escrito da misericórdia divina!

Somos missão de muitas formas!
Uns são doutores a falar, outros a escrever, outros a escutar;
uns são sábios no testemunho, outros na caridade;
uns partem para longe, outros saem de si na proximidade;
uns são heróis de grandes obras, outros fidelidade silenciosa,
uns consagram-se à oração e à Igreja, outros à política e sociedade;
uns laboram no digital, outros no real quotidiano;
uns dedicam-se às crianças e jovens, outros às família e idosos…
O importante é que trabalhemos em comunhão eclesial!

Senhor, dou-Te graças porque me chamaste a trabalhar na tua Messe!
Ser missão de um Deus escondido, que cada dia preciso procurar,
nem sempre é fácil! 
Às vezes ponho-me a inventar,
outras a construir ídolos à minha imagem e semelhança,
outras tenho medo de estar só na luta contra os “lobos”!
Aumenta, Senhor, a minha fé e dá-me a humildade do Cordeiro,
que se deixa conduzir pelo Pastor às pastagens da vida!
S. Lucas, evangelista da misericórdia divina,
ajuda-nos a anunciar hoje o Evangelho da esperança!

quarta-feira, outubro 17, 2018

 

4ª feira da 28ª semana do Tempo Comum – S. Inácio de Antioquia


Os frutos do Espírito são: caridade, alegria, paz, paciência, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, temperança. (cf. Gal 5,18-25)

O Espírito de Deus é fonte de vida nova!
Jesus dá-nos o seu Espírito, que por sua vez,
nos faz renascer novos Cristos na originalidade do tempo.
Somos campo onde cresce erva daninha e espinhosa
e onde Deus semeia cuidado e trigo que alimenta!
Religiosidade sem justiça e amor é um teatro piedoso,
que não cria fraternidade nem filiação divina!
É pelos frutos que conhecemos a árvore!

Neste mundo do “Maria vai com as outras”
as pessoas não olham para a qualidade de vida 
que têm e proporcionam à sua volta,
mas quem é o maior na intemperança!
Têm avisos de morte nos maços de tabaco,
mas continuam a fumar com a ilusão de serem modernos!
Trazem as olheiras carregadas de noitadas e orgias,
mas continuam a achar que são os maiores!

Senhor, eis-me aqui à procura da paz e da alegria 
na Nascente que me faz oásis e fonte,
que gera vida suave e bondosa, fiel e feliz!
O Teu Espírito me faz ver na aurora da noite
e me dá força para acreditar no Evangelho 
que antecipa a felicidade que procuro e anseio!
Liberta-nos das sementes que infernizam a nossa vida
e decrescem a nossa humanidade, bondade e justiça!
S. Inácio de Antioquia ajuda-nos a ser fiéis até ao fim!

terça-feira, outubro 16, 2018

 

3ª feira da 28ª semana do Tempo Comum – S. Margarida Maria Alocoque


Em Jesus Cristo, só a fé, que actua pela caridade. (cf. Gal 5,1-6)

Aderir a Cristo é entrar no mistério do amor.
Muitas vezes dá vertigens viver sempre em discernimento,
envolver o interior e o exterior numa coerência profética,
viver a aventura duma liberdade que atua pela caridade!
Mais fácil seria ter tudo bem definido: o pecado,
os preceitos, os rituais, os deveres, a bitola da santidade..

Hoje vivemos a voracidade da novidade,
entre os extremos do relativismo e o fundamentalismo.
A novidade cria insegurança, sensação de desnorte.
Uns procuram assegurar a a retidão do caminho e a salvação,
voltando ao antigamente do tudo claramente definido,
dos rituais exatos, dos deveres essenciais, da lista de pecados…
Outros, desistem de fazer caminho em Igreja
e vivem com a sua religiosidade individualista,
suas práticas esporádicas, suas sínteses, suas magias…

Senhor, dá-nos a tua mão e conduz-nos 
nesta multidão sem rumo a correr de um lado para o outro!
Guia-nos com a tua Palavra e alimenta-nos com o teu Pão,
para que a vida seja uma peregrinação sagrada
e a fé uma aventura de amor!
Liberta-nos das falsas seguranças
e consolida-nos na fidelidade do seguimento evangélico,
que aprende a caminhar de mãos dadas,
sob o nevoeiro do discernimento contínuo! 

This page is powered by Blogger. Isn't yours?