segunda-feira, agosto 20, 2018

 

2ª feira da 20ª semana do Tempo Comum – S. Bernardo


Assim fala o Senhor Deus: Vou profanar o meu santuário, orgulho do vosso poder. (cf. Ez 24,15-24)

Deus é bom e os seus preceitos geram bondade!
Quando o resultado é o orgulho ou a iniquidade,
não vem de Deus, mesmo que frequentemos o templo!
O jovem rico é um praticante de mandamentos,
mas confia mais nas suas riquezas do que em Deus!
Por isso, volta para casa triste com a realidade que descobriu!
Deus quer que nos confrontemos com a nossa verdade
e entremos na perfeita conversão de vida!

A vaidade da santidade é um pecado grave,
que afasta Deus e julga os irmãos como pecadores!
É o que chamamos beatice, pois de santo tem pouco!
Ser praticante de sacramentos e colaborador na Igreja é bom,
mas isso não nos deve levar a julgar mais que os outros,
nem a tentar assumir o comando da igreja,
agindo com ostentação, arrogância e prepotência!
O verdadeiro praticante é um discípulo humilde e fraterno,
que age apenas por amor sem medida e sem contrapartidas!

Senhor, eu confio em Ti, mas aumenta e purifica a minha fé!
Cristo quero seguir-Te de coração livre de amarras e seguranças,
embora saiba que tenha que fazer ainda um longo caminho,
para que o meu seguimento seja perfeito e fiel!
Que a tua Igreja seja praticante da fé e da celebração ,
da conversão e da caridade, da solidariedade e da missão!
S. Bernardo, ardor profético de entrega a Deus e devoção a Maria,
roga por nós, para que sejamos verdadeiros seguidores de Cristo!

domingo, agosto 19, 2018

 

20º Domingo do Tempo Comum



Não sejais irrefletidos, mas procurai compreender qual é a vontade do Senhor. (cf. Ef 5,15-20)

Deus é fonte da vida e da sabedoria de viver.
Estar em comunhão com Ele, encher-se do seu Espírito,
alimentar-se da sua carne em doação e serviço,
é aprender a prudência, viver divinamente amando!
Em Cristo encontramos a força para viver,
o rumo para seguir e a esperança de ser!
No Espírito Santo aprendemos a sintonizar o sentir de Deus
e escolhemos a sabedoria da felicidade redentora!

Um mundo em velocidade não quer refletir!
Uma mente ocupada com constantes ruídos sonoros e visuais
não quer pensar, tem medo do espelho da verdade!
Será livre uma vida movida pelos impulsos,
aprisionada pela paixão, dependente de drogas e de vícios?
Estranho um mundo onde todos comem a mesma comida,
bebem a mesma bebida, vestem as mesmas modas,
e ocupam o tempo da mesma forma,
como se estivéssemos a criar uma nova espécie de ser vivos,
nesta Torre de Babel engalanada de mercado sem fronteiras!

Senhor, Verdade silenciosa que espera discípulos,
eis-me aqui, sentado na lentidão, à espera da Luz!
Alimenta-nos com a tua Palavra e sê farol dos nossos passos!
Esvazia-nos do consumismo e do domínio dos sentidos,
para que tenhamos espaço para a meditação, a reflexão,
a revisão de vida, a avaliação do essencial,
a missão de cada um neste mundo em construção!
Conduz-nos, com o teu Espírito, à mesa da Eucaristia,
e ajuda-nos a sintonizar com o sentir de Cristo,
fazendo de nós pão que dá vida e bebida que refresca!


sábado, agosto 18, 2018

 

Sábado da 19ª semana do tempo Comum


Eu julgarei cada um segundo as suas ações. (cf. Ez 18,1-10b.13.30-32)

Deus julga-nos a justiça ou o pecado pessoal,
embora as nossas opções tenham consequências comunitárias!
O pecado dos pais não leva à condenação dos filhos,
pois os caminhos de Deus são insondáveis e misericordiosos.
Deus não quer a morte do pecador mas a sua conversão
e é capaz de escrever direito nas linhas tortas da nossa história!
Cristo quer-nos como as crianças, abertas a deixar-nos guiar,
confiantes em Quem nos ama eternamente e puras de coração!

Fala-se agora no “pecado de gerações” ou “maldições hereditárias”,
como se os filhos tivessem que pagar pelos males dos ascendestes.
Quem vive dessas crenças, busca “curas de gerações”,
como se tivéssemos recebido uma herança má, sem o sabermos!
Ora as condições para pecarmos são três: que haja matéria grave, 
consciência do erro e a resolução livre de praticar o pecado.
Não seria justo estarmos a sofrer castigo pelos pecados dos antepassados
e ainda mais de forma inconsciente e predeterminada!
Cada um é responsável pelos seus atos e deles deve dar contas a Deus!

Senhor, obrigado porque nos fizestes livres e pessoas únicas!
Sou solidário com a minha família e a minha cultura,
mas sou livre para ser diferente, para ser homem novo,
à imagem do Homem Novo que tudo recria!
Peço-Te pelos meus antepassados para que os perdoes e os salves!
Que o teu Espírito nos ilumine o discernimento 
para que possamos viver numa permanente infância espiritual,
em estado de conversão, na condição de discípulos de Jesus,
buscando a santidade e a justiça, na caridade e na esperança!

sexta-feira, agosto 17, 2018

 

6ª feira da 19ª semana do Tempo Comum – S. Beatriz da Silva


Vendo-te ensanguentada, Eu disse-te: ‘Quero que vivas’;  (cf. Ez 16,1-15.60.63)

Foi Deus que veio ao nosso encontro e nos amou!
Foi Deus que tomou a iniciativa de nos adotar como filhos,
de nos cuidar como Pai e como Mãe,
de nos purificar, educar na sabedoria e embelezar na dignidade!
Com tanto amor e com tanta liberdade,
subiu-nos a arrogância ao ventre e esquecemos Quem nos faz bem,
voltámos as costas a Quem nos restituiu a vida!
Mas Deus não se divorcia de nós,
Cristo é a nossa aliança eterna, é o Emanuel!

O amor, seja ele qual for, é sempre uma decisão pessoal,
que salva o outro: “Quero que vivas!”
Perante uma gravidez fortuita, tomar a decisão de não abortar
é dizer a este ser concebido: “Quero que vivas!”
Perdoar a quem nos ofendeu ou traiu é dizer-lhe:
“Quero que vivas, porque te amo de coração!”
Acolher um refugiado ou migrante
e dar-lhe oportunidade de refazer a vida é dizer-lhe:
“Quero que vivas e adotar-te como meu irmão!”

Senhor, louvado sejas pelas vezes que me disseste,
“Quero que vivas!” e me perdoaste, me protegeste, me elevaste!
Faz ecoar no meu coração este refrão de amor
e perante um quotidiano de fragilidade arrogante
eu possa repetir com determinação: “Quero que vivas!”
S. Beatriz da Silva, noiva de Ti à imagem da Imaculada Conceição,
ensina-nos a ser fieis, eucaristias de louvor,
que na contemplação de Cristo,
aprendem com Maria a servir a vida
e a ser instrumentos da reconciliação e da misericórdia!

quinta-feira, agosto 16, 2018

 

5ª feira da 19ª semana do Tempo Comum


Eu faço de ti um símbolo para a casa de Israel. (cf. Ez 12,1-12)

Deus fala-nos de muitos modos e sinais.
A rebeldia pode cegar-nos a vista e tapar-nos os ouvidos,
mas Deus continua a comunicar,
a mostrar-nos as consequências dos nossos atos!
Jesus é o símbolo mais transparente do sentir de Deus,
porque no Filho pulsa o coração misericordioso e justo do Pai!

Cada ser criado tem a marca que fala de Deus
e manifesta as marcas das consequências do pecado!
A chuva, que desce sobre bons e maus, 
é o símbolo do Deus misericordioso e santo,
que detesta a secura do mal e busca salvar o pecador!
Mas as mudanças climáticas são sinal do mau uso da liberdade,
que está a aquecer e a desertificar o planeta e poluir as águas!
Um jovem que cresce dependente dos seus caprichos e prazeres,
é o símbolo duma vida escrava, sem liberdade nem amor!
É tempo de abrirmos os olhos e aprendermos o caminho da vida!

Senhor, há tantas parábolas vivas na vida,
que deixamos passar, distraídos com futilidades!
Vivemos num mundo que não sabe ler nem ouvir,
que se alimenta de análises que não conduzem à conversão!
Que o teu Espírito nos abra os olhos da sabedoria 
e nos mova a conversões proféticas e alternativas,
que nos falem da grandeza do perdão,
da inteligência da vontade, da beleza da simplicidade,
da audácia da liberdade e da alegria de servir o bem!
Faz de nós um sinal vivo de Cristo e do seu Evangelho!

quarta-feira, agosto 15, 2018

 

Assunção da Virgem Santa Maria


Apareceu no Céu um sinal grandioso: uma mulher revestida de sol. (cf. Ap 11,19a.12,1-6a.10ab)

Deus é a fonte, o sustento e a vitória da vida.
O Filho de Deus encarna no cheio virgem de Maria,
para restituir à criação a eternidade perdida pelo pecado
e vencer a morte, tornando-se caminho e porta da ressurreição!
Maria é este sinal grandioso da esperança da humanidade em Cristo,
que nos espera e intercede para que todos sejam filhos no Filho!

Maria está viva no coração da Igreja e de todos os povos!
Cada povo descobre em Maria um sinal de predileção, de visita,
de visão, de aparecimento, de maternidade e de proteção!
Todos a sente sua, mesmo fora da sua terra!
Ela não descrimina e nem julga, simplesmente acolhe,
convida à conversão, cura, devolve a esperança
e a ponta para seu Filho: “Fazei o que Ele vos disser!”
Ela é de facto um sinal grandioso no Céu que se faz proximidade!

Senhor Jesus, caminho e porta da Vida,
envia-nos o teu Espírito e ajuda-nos a caminhar na terra
com o coração em Deus e a fidelidade humilde nas entranhas!
Maria, Serva do Senhor e Mãe da humanidade, 
puxa-nos para cima em dignidade e caridade,
em serviço e santidade, em seguimento e missão evangélica!
Ajuda-nos a ser uma Igreja, sinal de fé e de esperança
no Sol de Justiça que é Cristo Jesus!

terça-feira, agosto 14, 2018

 

3ª feira da 19ª semana – S. Maximiliano Maria Kolbe


Filho do homem, alimenta-te e sacia-te com o rolo que eu te dou. (cf. Ez 2,8-3,4)

A Palavra da Vida brota do amor de Deus.
A Palavra não é vara que de fora nos guia,
mas alimento que nos sacia e fortalece,
luz que interiormente nos faz ouvir o bem e o mal,
água que nos purifica e nos faz falar como profeta!
Jesus é o bom Pastor que desce em busca da ovelha perdida
e faz festa quando a encontra, 
porque não quer que ninguém se perca!

A palavra não é apenas um exercício vocal, verbo de encher,
mas diálogo em busca da verdade e de comunhão,
que comunica convicções e manifesta amor ou ódio!
A doutrina evangélica não são preceitos morais a conhecer,
mas seguimento de Jesus a assimilar, 
semente de vida em Cristo a cultivar,
sol que plasma por dentro e orienta o remar!
Tudo o resto é balançar entre o permitido e o proibido,
o metro e a peneira, a recompensa e o castigo!

Senhor, a tua Palavra é doce ao paladar, mas difícil de digerir,
por isso, fujo do silêncio, corro ao ritmo do ruído da ambição!
Dá-me coração de discípulo e ouvidos de criança humilde,
que quer aprender a deixar-se conduzir pela Mão do Amor,
pela Luz da Verdade, pelo Pão da Vida, à mesa da Eucaristia!
S. Maximiliano Kolbe, missionário que semeia a vida,
devoto de Maria e livre para amar,
roga por estes teus irmãos, tantas vezes vazios de esperança!

This page is powered by Blogger. Isn't yours?